As autoridades chinesas prenderam o Bispo Jia Zhiguo, da Igreja Católica, quando se encontrava em recuperação no hospital. As autoridades disseram aos fiéis que o Bispo tinha sido “enviado para ‘educação’ por diversos dias”.

Segundo a Fundação norte-americana Cardeal Kung, funcionários do Departamento dos Assuntos Religiosos da província de Hebei (nordeste do país) prenderam o prelado, de 72 anos, que estava em recuperação de uma intervenção cirúrgica. Esta é a nona vez que o Bispo foi preso, apenas desde Janeiro do 2004 e, no total, D. Zhiguo já passou quase 20 anos na cadeia.

As autoridades disseram aos fiéis mais tarde, no mesmo dia, (25 de Junho) que o Bispo tinha sido “enviado para ‘educação’ por diversos dias”, adianta a Fundação.
À agência Lusa, o Departamento dos Assuntos Religiosos de Hebei negou conhecimento da detenção e participação neste caso.

No início de Junho, D. Jia Zhinguo tinha sido libertado por motivos de saúde de uma cadeia chinesa, após seis meses de prisão. O prelado fora detido em Novembro de 2005 e permaneceu preso numa unidade militar até Maio.

Embora o Partido Comunista Chinês se declare oficialmente ateu, a Constituição chinesa permite a existência de cinco Igrejas oficiais (Associações Patrióticas), entre elas a Católica, que tem 5,2 milhões de fiéis. Segundo fontes do Vaticano, a Igreja Católica “clandestina” conta mais de 8 milhões de fiéis.

A Associação Patriótica Católica (APC) da China, autorizada e controlada pelo regime de Pequim, tem empreendido uma campanha de confronto com a Santa Sé, que esta considera “uma grave ferida para a unidade da Igreja”.

Fonte: Agencia Ecclesia