O bispo italiano Monsenhor Gino Reali admitiu em interrogatório que sabia da existência de acusações contra o padre Ruggero Conti dois anos antes de ele ser preso pela polícia, em 2008, conforme interrogatórios obtidos pela agência de notícias Associated Press.

Hoje, a Justiça italiana retoma o júri de Conti, acusado de ter molestado sete garotos em uma paróquia de Roma.

Nos interrogatórios feitos pela polícia, as vítimas disseram que Conti abusava delas e as obrigava a praticar sexo oral em sua casa, quando as convidava para jantar ou para assistir a filmes. O padre admite ter acariciado as vítimas, mas afirma ter sido mal compreendido –no processo, ele usa uma palavra que, em italiano, possui uma conotação paternal. “Só posso imaginar que esses garotos têm uma interpretação distorcida”, disse Conti em audiência de 2008.

O julgamento recebe muita atenção na Itália porque a reputação de Conti era tão boa que ele chegou a servir como um conselheiro familiar para o prefeito de Roma Gianni Alemanno durante a campanha dele, em 2008.

De acordo com as peças obtidas pela Associated Press, em interrogatório, Reali disse ter escutado denúncias, inclusive de um garoto que se dizia vítima do padre, mas que as descartou depois de ter confrontado Conti, que negou tudo. Reali diz que, à época, aconselhou Conti a proibir visitas de garotos à sua casa, mas negou que pudesse obrigá-lo a isso. “É, são fatos graves, mas eu não posso realizar uma investigação desse tipo sem uma acusação precisa”, disse Conti no interrogatório. “Há tantos ‘rumores’, não posso correr atrás de cada um deles.”

O advogado Nino Marazzita, que representa um dos garotos no processo, afirma querer fazer o bispo testemunhar no júri para, desta forma, determinar se ele acobertou os supostos abusos. “O silêncio é sempre um meio de cumplicidade moral”, disse a repórteres, na semana passada.

Na sexta-feira que vem, o cardeal Tarcisio Bertone, número dois do Vaticano, se reunirá com os cinco bispos que concluíram, mediante investigação, que o padre Marcial Maciel Degollado, fundador da influente ordem mexicana Legionários de Cristo, abusou durante anos de vários seminaristas e teve ao menos uma filha, fruto de ‘uma relação estável’. Será a primeira reunião sobre o caso desde o término da investigação, no ano passado.

“Os resultados dos encontros não serão divulgados”, alertou o padre Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano.

Reino Unido

Na Escócia, a igreja pode convidar a cantora Susan Boyle, que ficou mundialmente conhecida ano passado depois de ter participado de um concurso de talentos britânico, para se apresentar a Bento 16 durante a visita que ele fará ao país em setembro próximo. Ex-voluntária paroquial, Boyle, 49, pode ser convidada a cantar durante uma missa em Glasgow. Por enquanto, não houve convite formal.
Embora não tenha vencido o concurso “Britain’s Got Talent”, o vídeo de uma das apresentações de Boyle no programa foi o mais visto de 2009 no YouTube, com 120 milhões de acessos.

Fonte: Folha Online