O bispo da cidade mexicana de Saltillo, Dom Raúl Vera, destacado defensor dos direitos humanos, pediu aos católicos e cristãos que reconheçam a dignidade dos homossexuais e solicitou aos fiéis que evitem uma campanha homofóbica.

Em declarações publicadas ontem pelo jornal Milênio, Dom Vera disse que a comunidade homossexual sofre discriminação, por isso pediu aos católicos que sejam “solidários para com os que mais sofrem”.

Em sua diocese, o bispo promove o grupo San Elredo, que ajuda pessoas homossexuais através de encontros e reflexões. Diante da polêmica provocada recentemente por um projeto para legalizar matrimônios de pessoas do mesmo sexo, que o governo do Distrito Federal está preparando e que poderia se estender para outras regiões, Dom Vera esclareceu dois pontos: o sentido do matrimônio como o entende a Igreja Católica, ou seja, entre um homem e uma mulher; e que não se pode permitir que a sociedade inicie uma campanha contra homossexuais”.

O trabalho de Dom Raúl Vera na defesa dos direitos humanos foi reconhecido no ano passado pelo Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos.

Dom Vera foi bispo coadjutor entre 1995 e 1999 em San Cristóbal de las Casas (estado de Chiapas), epicentro da contestação, em 1994, do Exército Zapatista de Libertação Nacional, do “Subcomandante Marcos”.

Em Saltillo o prelado se destacou pela defesa de uma dezena de prostitutas que foram violentadas por soldados, e dos familiares de vítimas da explosão da mina Pasta de Conchos (Coahuila), em 2006, onde morreram 65 trabalhadores.

Fonte: Rádio Vaticano