Ao contrário dos rumores de que o Vaticano estaria investigando o fenômeno da imagem de Nossa Senhora de Fátima, que aparentemente “transpira” mel, desde o dia 16 de maio em uma residência em Campo Grande, o Bispo de Corumbá, Dom Martini diz que nada sabe sobre essa visita.

“Estive este fim de semana em Campo Grande, no dia 22 e 23 de setembro, com o arcebispo Vitório Pavanello e ele não comentou nada sobre a visita do vaticano na residência dessa família”, afirma Dom Martini.

De acordo com ele, o vaticano não costuma agir com tanta rapidez nesses casos, confia sempre no parecer do bispo da região. A Igreja Católica não se pronuncia, apenas aguarda mais sinais.

“Nesse momento não cabe o julgamento, dizer que é verdadeiro ou não. Tipos de fenômeno como esse, não pode ter interpretação rápida, tem que ser analisada com muita prudência, um milagre não acontece com tanta facilidade. Se Nossa Senhora realmente se manifesta, ela vai dar sinais de que está presente. Esse pode ser um sinal, mas não é o suficiente. A Igreja é bastante prudente nessa questão. Vamos aguardar”, afirma.

Para o Bispo, o lado positivo desses possíveis “fenômenos” é que ajuda muitas pessoas na conversão, no crescimento e no resgate da fé. “As pessoas deixam-se levar facilmente pelos sentimentos, pela ilusão e até mesmo pela religiosidade. É o poder da mente”, salienta.

Segundo Dom Martini, Dom Vitório manifestou vontade em visitar a Santa, mas de maneira privada, para conversar com a família, sem tumulto. Quando soube que a imprensa estaria presente, preferiu não ir.

Fonte: Corumbá Online