O bispo ortodoxo Seraphim de Piraeus ameaçou excomungar os deputados gregos que apoiarem por meio de votos as uniões homossexuais, como exige uma recente sentença do Tribunal Europeu de Direitos Humanos.

No começo deste mês, o Tribunal de Estrasburgo considerou que a Grécia viola a Convenção Europeia de Direitos Humanos ao não reconhecer aos casais homossexuais os mesmos direitos que os dos heteros.

O Executivo grego deve agora modificar a lei de casais constituídos, mas, por enquanto, persistem os desacordos sobre como realizar a reforma entre os conservadores do Nova Democracia e os social-democratas do Pasok, os dois partidos que formam a coalizão governante.

Neste contexto, o bispo, conhecido por suas declarações antissemitas e ultraconservadoras, advertiu em comunicado emitido nesta semana que todos os deputados que votem a favor da modificação da lei, que rotulou de “insulto contra Deus e o homem”, serão excomungados.

Ele criticou que se queira normalizar “este terrível pecado da homossexualidade, a sodomia e o coito antinatural”.

“Para os membros da Igreja, a homossexualidade é o pecado mais asqueroso e sujo”, criticou, além de proferir uma longa série de insultos contra os homossexuais.

[b]Fonte: EFE[/b]