O bispo de San Isidro, na periferia norte da cidade de Buenos Aires, monsenhor Jorge Ojea, pediu perdão e anunciou o pagamento de uma indenização às vítimas de pedofilia por parte de um sacerdote de sua diocese, um fato inédito na história da Igreja Católica na Argentina.

“A comunidade diocesana de San Isidro, e de um modo especial o bispo e seu presbitério, pedem publicamente perdão aos jovens que foram afetados por estas condutas de um sacerdote da nossa diocese, o padre José Mercau”, anunciou nesta sexta-feira a AICA (Agência Informativa Católica Argentina) em sua página na internet.

Mercau, detido há sete anos e cumprindo pena de 14 anos por pedofilia, era pároco da igreja São João Batista, da diocese de San Isidro, e estava a cargo de um lar que abrigava crianças de rua.

O comunicado também destaca a vontade do arcebispado de ressarcir quatro homens que apresentaram denúncia contra o sacerdote.

“Chegou-se a um acordo econômico e o arcebispado venderá alguma de suas propriedades para concretizar os ressarcimentos”, afirmou o padre Máximo Jurcinovic, porta-voz do bispo, ao canal de notícias C5N.

Esta é a primeira vez que a Igreja voluntariamente assume a responsabilidade de efetuar uma reparação econômica, embora este ano a diocese de Quilmes (periferia sul) foi condenada pela justiça a indenizar as vítimas de abusos, mas ainda não o concretizou.

[b]Fonte: Boa Informação
[/b]