O ex-arcebispo da Paraíba, Dom Marcelo Carvalheira, foi reconhecido, após 40 anos, como vítima da ditadura militar. O Ministério da Justiça concedeu à anistia política e vai dar uma indenização para o religiosos, que foi preso e torturado na década de 60.

Dom Marcelo, na época, era reitor do Seminário Maior do Nordeste, quando foi acusado de subversão, sofrendo todo tipo de agressão. Apesar de já fazer bastante tempo, Ele ainda lembra dos tempos de medo e perseguição.

“Isso já passou e não estou preocupado em receber a indenização. Fico feliz apenas em ver o reconhecimento de que o governo Militar não estava com a razão”, destacou o ex-arcebispo, que renunciou ao cargo em 2004.

Atualmente, Dom Marcelo, aos 80 anos, vive no mosteiro de São Bento, no Recife, o mesmo onde viveu Frei Damião. O objetivo dele é viver na solidão, recluso, pois, assim, estará mais perto da fé, mas próximo de Deus.

“Dom Marcelo é um exemplo para todos nós. Ele abdicou de quaisquer bens materiais, além de ser um nome de grande importância para a igreja” elogia um abade que convive com Carvalheira.

Fonte: pe360graus