Três bispos anglicanos, convertidos ao catolicismo, devido à guinada “liberal” da hierarquia religiosa, foram ordenados padres neste sábado.

A ordenação foi na catedral de Westminster, em Londres, num novo episódio, símbolo da relação tumultuada da Igreja Anglicana com Roma.

“Este dia único marca uma nova etapa na vida e na história da Igreja Aatólica”, declarou na homilia o arcebispo Vincent Nichols, durante a cerimônia, que contou com a participação de centenas de representantes do clero.

Dois meses após a visita ao Reino Unido do Papa Bento 16, Andrew Burnham, Keith Newton e John Broadhurst anunciaram em novembro passado que se somariam à Igreja católica romana, para marcar sua oposição às decisões recentes dos anglicanos sobre a ordenação de mulheres ou a bênção a uniões homossexuais.

Serão os primeiros a fazer parte do “ordinariat”, uma nova estrutura criada pela Santa Sé para acolher os religiosos vindos do anglicanismo e na qual poderão dar sequência a uma liturgia “própria da tradição anglicana”.

A iniciativa, mal vista por numerosos anglicanos, voltou mais uma vez a tornar tensas as relações com os católicos, já tempestuosas, desde o cisma com Roma, em 1534, depois que o Papa Clemente 7 recusou-se a conceder divórcio ao rei da Inglaterra Henrique VIII.

Os três bispos, por serem casados e pais de família, não podem conservar a mesma hierarquia no seio da Igreja Católica, pelo que, então, foram ordenados padres.

O arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, o mais alto prelado da Igreja anglicana, voltou a lamentar a partida dos três, depois de ter expressado o temor de ver outras paróquias anglicanas acéfalas, se outros religiosos seguirem o mesmo caminho, desertando.

Segundo o agora padre católico e ex-bispo anglicano Keith Newton, 50 representantes do clero anglicano poderão fazer o mesmo, nos próximos meses.

No final de 2009, a Santa Sé promulgou uma Constituição apostólica — nome dado às leis mais importantes da Igreja — permitindo a conversão ao catolicismo dos anglicanos dissidentes.

Durante sua visita ao Reino Unido, em setembro passado, Bento 16 havia multiplicado os gestos de apaziguamento, assegurando que as duas comunidades “caminhavam juntas e não mais concorriam entre si”. A celebração pelo papa da beatificação do cardeal John Newman, um anglicano que passou ao catolicismo, fez, no entanto, ranger dentes.

A Igreja anglicana conta com 77 milhões de fiéis, dos quais 13 milhões no Reino Unido, onde é religião dominante, com cem bispos. A Igreja católica possui, no total, 1,1 bilhão de fiéis, dos quais cinco milhões no Reino Unido.

[b]Fonte: Folha Online[/b]