A situação no Iraque requer “urgência moral, um diálogo substantivo e novos rumos”, afirmou o presidente da Conferência de Bispos Católicos dos Estados Unidos, William Skylstad.

O prelado de Spokane, no estado de Washington, divulgou a declaração durante a assembléia de outono (no hemisfério norte) da Conferência de Bispos, que está reunida esta semana em Baltimore, Maryland.

“A Santa Sé e nossa conferência episcopal expressaram, repetidas vezes, suas graves preocupações morais acerca da intervenção militar no Iraque e as conseqüências, imprevisíveis e incontroláveis da invasão e da ocupação”, lembrou Skylstad.

“A situação atual está cobrando um preço terrível ao povo iraquiano e a nosso pessoal militar, assim como à região, a nosso país e ao mundo”, acrescentou.

“Esperamos que nossa nação deixe para trás a retórica da recente campanha (das eleições legislativas) e o debate superficial que distorce a realidade e reduz as opções a ‘sair correndo’ versus ‘manter o curso'”, indicou Skylstad.

O Vaticano e os bispos católicos dos EUA “apóiam a necessária e ampla cooperação internacional para promover a estabilidade e a reconstrução no Iraque”, de acordo com o bispo.

“As forças militares dos EUA deveriam permanecer no Iraque só até que sua presença contribua para uma transição responsável”, acrescentou o prelado americano.

Fonte: EFE