A Comissão de Justiça e Paz Internacional da Conferência Norte-Americana de Bispos Católicos querem proteger os cristãos no Iraque.

Bispos Católicos dos EUA chamaram os congressistas para que aprovem rapidamente uma resolução que condena o recente ataque contra uma Igreja no centro de Bagdá e pediram um plano integral para melhorar a segurança para as minorias religiosas no Iraque.

A Comissão de Justiça e Paz Internacional da Conferência Norte-Americana de Bispos Católicos (USCCB) enviou a carta aos patrocinadores da Resolução 1725 da Câmara, que foi apresentada pelo representante Chris Smith (RN.J.) e co-patrocinada por seis congressistas.

“Nossa Conferência acolhe com satisfação esta resolução bipartidarista como uma forma de chamar a atenção sobre a situação das comunidades religiosas vulneráveis no Iraque,” escreveram os bispos. “Em particular, apoiamos a ênfase no desenvolvimento de um plano integral para melhorar a segurança das minorias religiosas e para aumentar a sua representação no governo do Iraque e sua inclusão em todos os aspectos da sociedade iraquiana.”

A resolução é uma resposta ao ataque de 31 de outubro em contra os fiéis da Igreja Nossa Senhora da Salvação, no Bagdá, que matou 58 pessoas, entre elas três sacerdotes, e feriu 75. O ataque foi o mais mortífero contra a comunidade cristã assíria desde que os extremistas islâmicos começaram a atacar-los em 2003.

Nas semanas seguintes, os extremistas mataram mais pessoas nos bairros cristãos de Bagdá, assim como na cidade do norte de Mosul. Há duas semanas, extremistas mataram uma menina de seis anos de idade e seu pai cristão em Mosul, que tem uma grande população cristã. Dois homens cristãos foram assassinados também na sala de sua casa na cidade.

No Estado Islâmico de Iraque, que reúne aos grupos islâmicos sunitas insurgentes que incluem a Al-Qaeda, se atribuiu a responsabilidade dos ataques do dia 31 de outubro e 10 de novembro. A polícia informou que ao menos 11 bombas explodiram em uma hora em três bairros em Bagdá, no dia 10 de novembro.

No sábado, forças de segurança iraquianas detiveram 12 pessoas suspeitas de estarem vinculadas com o ataque à Igreja de Nossa Senhora da Salvação, incluindo o líder da Al Qaeda em Bagdá, al Huthaifa Batawi.

Além de chamar um plano de segurança para as minorias religiosas do Iraque, a resolução também pede medidas para acelerar as solicitações de reassentamento de refugiados irquianos e melhorar as condições de maneira que possam regressar ao Iraque.

“Esperamos sinceramente que a Resolução H. 1725 seja rapidamente adotada pela Câmara de Representantes já que acreditamos que ajudará a melhorar a segurança de todos os iraquianos, especialmente os Cristãos e outras minorias vulneráveis,” disse aos bispos. “Esperamos que isto contribua com o objetivo geral de conseguir uma “transição responsável” que reduza a perda de mais vidas humanas e faça frente à crise de refugiados no Iraque.”

A Resolução 1725 foi introduzida em 18 de novembro. Seus patrocinadores são: os congressistas Frank Wolf (R-Va.), Anna G. Eshoo (D-Califórnia), Mark S. Kirk (republicanos por Ilinóis), Gary C. Peters (democrata de Michigan), Joseph Pitts (Pensilvânia), e Trent Franks (republicano por Arizona).

Há somente uns 600.000 Cristãos no Iraque agora, frente aos quase 1,2 milhões antes da invasão liderada pelos Estados Unidos em 2003.

[b]Fonte: Christian Post
[/b]