Uma delegação de bispos belgas chegou ontem ao Vaticano em visita e será recebida pelo papa Bento 16 na próxima sexta-feira (7). A visita servirá para analisar os casos de pedofilia na Bélgica, que levaram à renúncia do bispo de Bruges, Roger Vangheluwe e envolvem também o chefe da Igreja no país, o monsenhor André Joseph Léonard.

Embora seja de normal que bispos visitem o chefe da Igreja a cada cinco anos para falar sobre a situação de suas dioceses, o caso de Vangheluwe, que reconheceu recentemente ter abusado de um jovem quando era sacerdote e foi destituído imediatamente por Bento 16, deu um novo caráter a visita.

Além do escândalo do já ex-bispo de Bruges, no último dia 29, um jornal belga publicou a denúncia de um homem que assegura que aos 15 anos foi violado por um sacerdote da diocese de Namur e que o atual chefe da Igreja Católica belga, André Joseph Léonard, que à época era bispo de Namur, acobertou o caso.

Negligência

Na última quinta-feira (29), o próprio chefe da Igreja Católica na Bélgica, monsenhor André Joseph Léonard, foi acusado de negligência com relação a um caso de abusos sexuais no passado, após ter pedido à população que denunciasse casos de pedofilia no país.

De acordo com o jornal belga “De Morgen”, nos anos 1980, Joel Devillet, então adolescente, foi vítima de abusos frequentes de um padre de Valônia (sul do país). Em 1996, ele teria denunciado os crimes ao monsenhor Léonard, então bispo, mas este não fez nada a respeito, diz o jornal.

“Apesar de reconhecer os fatos, o padre permaneceu mais cinco anos no posto e continuou abusando de outras vítimas. Léonard evitou a qualquer custo a abertura de um processo”, afirmou Devillet.

O porta-voz do monsenhor Léonard informou que o caso de Devillet, que entrou com processo contra este por danos e prejuízos, está nas mãos da justiça e por este motivo se negou a fazer comentários.

Renúncia

As denúncias contra o chefe da Igreja Católica belga chegam num momento em que a instituição enfrenta uma crise no país. Na sexta-feira (23), o papa Bento 16 aceitou a renúncia do bispo de Bruges, Roger Vangheluwe, 73, que admitiu ter abusado sexualmente de um rapaz por um longo período.

Vangheluwe — que era bispo há 25 anos e o religioso há mais tempo no cargo na Bélgica– apresentou sua renúncia ao papa após admitir ter abusado de um jovem –seu sobrinho, segundo vários meios de comunicação belgas– no final dos anos 1980.

“Quando eu ainda era padre e durante um período quando me tornei bispo, abusei sexualmente de um jovem que fazia parte de minha equipe”, disse o belga Vangheluwe, em um comunicado divulgado em entrevista coletiva em Bruxelas.

O bispo nasceu na cidade de Roeselare e foi ordenado padre em Bruges aos 26 anos. Ele foi indicado como bispo da cidade histórica em 1984, aos 48 anos, cargo que manteve por 25 anos até sua renúncia. Ele deveria se aposentar no ano que vem.

Fonte: Folha Online