Os bispos da Associação das Conferências Episcopais dos Países Anglófonos da África Ocidental (AECAWA) divulgaram um comunicado, no final de sua 11° Assembléia Plenária, realizada em Freetown, capital de Serra Leoa.

O tema da plenária foi a “A Igreja e a colaboração entre cristãos e muçulmanos na África Ocidental”.

Os bispos de língua inglesa afirmam que “querem aprofundar o diálogo com os muçulmanos, para que possam ir ao cerne da questão: a promoção da paz na região da África ocidental”.

Para os prelados, a colaboração entre as duas comunidades religiosas se torna possível em virtude da compartilha dos mesmos valores: o monoteísmo, o valor da oração, da esmola e do jejum e a importância da peregrinação. “Cristãos e muçulmanos compartilham também, a mesma moral sexual, e exaltam o valor da família, rejeitando a promiscuidade, o homossexualismo, a prostituição e o aborto.”

Há, porém, motivos de conflitos derivantes “da intolerância, do militarismo e do fundamentalismo de algumas pequenas minorias, cristãs e muçulmanas”.

Os bispos consideram que cristãos e muçulmanos devem superar esses contrastes, e colaborar para revolver os problemas que afligem os povos da região. Um deles é a corrupção. “Cristãos e muçulmanos devem ser capazes de trabalhar juntos, em programas anticorrupção concretos. Juntos, devemos ser capazes de fazer algo em relação ao desemprego, ao crime, à vingança, à indisciplina e à ignorância” _ concluem os prelados.

Fonte: Rádio Vaticano