Os bispos da Irlanda acreditam que a Igreja Católica atualmente é “muito mais segura” para crianças e jovens.

Os religiosos chegaram a essa conclusão durante uma plenária da Conferência Episcopal Irlandesa, na qual foi analisado o Relatório Anual 2010 do National Board for Safeguarding Children in the Catholic Church in Ireland.

O documento final do encontro destaca que Igreja Católica é “um lugar muito mais seguro para as crianças e os jovens do que foi no passado”.

Segundo os bispos, isso é resultado dos “grandes esforços realizados por milhares de pessoas em toda a Igreja irlandesa” e da “existência” de um comitê “independente e profissional” como o National Board for Safeguarding Children in the Catholic Church in Ireland, que trabalhou “duramente” para “desenvolver políticas, procedimentos de consultas, monitoramento e revisão”.

Os bispos, no entanto, reconheceram que este trabalho de monitoramento “progrediu de maneira mais lenta que o esperado”, De acordo com eles, isso se deve à “atuação do direito civil na proteção dos dados”.

Na declaração final da plenária, os religiosos também pediram para o governo “adotar as medidas necessárias para que o National Board possa desenvolver sua missão, recebendo e dividindo informações com outros organismos da Igreja”.

Há cerca de dois anos, foi revelado o conteúdo do Relatório Murphy, que reúne investigações realizadas por uma comissão liderada pela juíza Yvonne Murphy.

O documento aponta que instituições administradas pela Igreja Católica da Irlanda teriam sido palco de milhares de abusos sexuais de crianças por parte de religiosos entre 1930 e 1990.

[b]Fonte: Folha Online[/b]