Os membros da Conferência Episcopal Paraguaia (CEP) afirmaram nesta quinta-feira, 28, em comunicado que os focos de febre amarela serviram para evidenciar o “estado de abandono” da saúde pública no país.

Na mensagem, os bispos convocaram governo e sociedade para que não percam de vista os outros perigos de epidemia que assolam o Paraguai, como a dengue. O comunicado fala que na campanha contra a febre amarela, a Igreja Católica tem visto a “improvisação das instituições estatais.”

A febre amarela já causou 8 mortes no Paraguai, segundo a imprensa local, embora as autoridades confirmem somente 5 vítimas. Há duas semanas, o aumento dos casos de morte gerou pânico entre a população, que compareceu em peso aos postos de vacinação.

Fonte: Estadão