Desde o início do processo eleitoral em Vila Velha, no Espírito Santo, Hércules Silveira (PMDB) e Neucimar Fraga (PR) negam que têm feito uma campanha baseada em bandeiras religiosas. Mas, nas ruas de Vila Velha, o debate eleitoral tem adquirido claramente uma conotação religiosa

Tanto um como outro afirmam que, caso eleitos, farão um governo voltado para todos os moradores da cidade, sem privilegiar ou discriminar nenhum grupo ou segmento religioso, e a despeito de sua própria opção religiosa.

Mas, nas ruas de Vila Velha, queiram ou não os candidatos, o debate eleitoral no segundo turno tem adquirido claramente uma conotação religiosa, que tem deixado no esquecimento até mesmo o debate político-ideológico. A cidade está dominada por uma série de rumores, de parte a parte, que circulam desde o início do processo e agora se intensificaram rumores que contrariam os discursos de respeito à diversidade.

Alguns eleitores de Neucimar, em boa parte evangélicos como o candidato, vêm “plantando”, por exemplo, que Hércules poderia dar fim ao Jesus Vida Verão ? evento tradicional que reúne especialmente evangélicos para cultos e shows na Praia da Costa, durante o mês de janeiro. Na outra frente, alguns eleitores de Hércules, em boa parte católicos como ele, têm alimentado o rumor de que, se eleito, Neucimar poderia extinguir a tradicional Festa da Penha ? maior celebração popular com caráter religioso do Espírito Santo. Outros chegaram até a afirmar que Hércules teria ligação com religiões de matriz africana, pelo fato de só andar vestido de branco.

Embora ninguém comprove a veracidade dos rumores e os próprios candidatos os recusem com veemência, muitos agentes políticos e religiosos na cidade confirmam pelo menos dois pontos: os rumores têm ganhado intensidade entre os eleitores das duas frentes religiosas; e católicos e evangélicos têm se perfilado respectivamente a Hércules e a Neucimar por serem da mesma denominação. Ou seja, a maioria dos eleitores canelas-verdes tem determinado o voto em função da religião professada pelo candidato.

O vereador eleito de Vila Velha, João Batista Babá (PT), ligado às comunidades eclesiais de base da Igreja Católica, confirma a circulação dos rumores contra Neucimar no meio dos católicos, embora pessoalmente não lhes dê crédito: “Temos ouvido esses rumores desde o início. Mas eu sinceramente não acredito que um dos dois seria tão fundamentalista e sectário do ponto de vista religioso para acabar com uma festa popular. Seria um atentado contra os irmãos de outra religião e uma inconseqüência fora do comum por parte de homens que se dizem públicos, num país laico como o Brasil”, avalia.

Babá também tem observado o fortalecimento do “voto devoto”: “Não vi ninguém com proposições absurdas nesse sentido, mas começou a haver uma polarização religiosa do debate eleitoral. Tenho observado muita gente dizer que vai votar em Hércules por ele ser católico, e em Neucimar por ser evangélico.”

O que os candidatos dizem

“A decisão em Vila Velha não tem que passar pelo fator religioso, mas pela competência. O povo não vai eleger um pastor, e sim um prefeito. O boato sobre a Festa da Penha saiu de adversários”
Neucimar Fraga
candidato a prefeito (PR)

“Não acredito que o fator religioso vai ser tão decisivo para a eleição. Tem muitos evangélicos que estão me apoiando, assim como tem católicos que o apóiam”
Hércules Silveira
candidato a prefeito (PMDB)

Crise política em associação de evangélicos

O episódio do lançamento do manifesto contra Hércules e Neucimar a uma semana da votação em primeiro turno ainda gera desdobramentos. No caso dos evangélicos representados na Aplevv, o manifesto foi o estopim de uma crise interna.

Lançada pelos quatro candidatos derrotados no primeiro turno, a carta também contou com a assinatura da entidade. Na ocasião, porém, o presidente licenciado e candidato a vice de Vereza, pastor Alcemir Pantaleão, negou que falasse em nome da Aplevv, versão mantida por ele. Pressionado por colegas, o então presidente interino, pastor Gilmar Azeredo, renunciou ao cargo, após explicar sua isenção. Já o pastor Alcemir, que poderia retornar ao posto, apresentou uma carta de renúncia, que será discutida hoje à noite.

Candidato diz na TV que prioridade é a área da Saúde

O candidato Neucimar Fraga (PR) foi entrevistado ontem pelo ES TV 2ª Edição, e disse que, se for eleito, vai priorizar os investimentos na área de Saúde em Vila Velha. “Vamos estabelecer um convênio com o governo do Estado para construir um novo hospital em Vila Velha e implantar, de imediato, prontos-atendimentos 24 horas que funcionarão inclusive nos finais de semana”, afirmou. Ele salientou ainda a cidade precisa de um “novo modelo de gestão”. Na entrevista, ele citou propostas para evitar os alagamentos e também para o trânsito. Hoje, no mesmo horário, o entrevistado será o candidato do PMDB, Hércules Silveira. Os dois disputam o segundo turno.

Neucimar arrebanha pastores evangélicos

“O fator religioso vai pesar consideravelmente. Infelizmente, as pessoas ainda decidem o voto pela condição religiosa do candidato.” A opinião é do Pastor Alcemir Pantaleão (PT), candidato a vice na chapa de Claúdio Vereza (PT) e presidente licenciado da Associação de Pastores e Líderes Evangélicos de Vila Velha (Aplevv).

Apesar de condenar a confusão de religião com política, o pastor reconhece que muitos dos 180 pastores de diversas denominações associados à entidade estão veladamente pedindo votos para Neucimar, em virtude da divisão entre católicos e evangélicos na cidade. “Há uma guerra religiosa velada há muito tempo em Vila Velha. Eu diria que esse contexto de disputa de espaço é maior por parte dos católicos, talvez pelo fato de um evangélico governar a cidade há oito anos (Max Filho é presbiteriano).” O pastor lembrou que, quando foi vice de Vereza ? uma estratégia para atrair o voto evangélico ?, o deputado era freqüentemente questionado por católicos pela escolha do vice.

Segundo o pastor, a Aplevv mantém a isenção no processo, mas a maioria dos diretores apóia Neucimar. Um deles, pastor Marco Aurélio de Oliveira, é presidente do Fórum Político da entidade. Ele afirma, porém, que a posição é pessoal e que não usa os cultos para fazer campanha. O próprio presidente em exercício, pastor Wandelrey Pacheco, é coordenador de campanha do segmento evangélico de Neucimar, que, por sua vez, também é membro da entidade, na condição de líder evangélico.

Fonte: Gazeta Online