No último domingo, dia 18, evangélicos de diversas denominações foram às ruas na Bolívia para se manifestar “pela liberdade de fé” no país.

A manifestação foi em oposição à Lei 351, que visa regulamentar as instituições sem fins lucrativos (assim como as igrejas) e sujeita o controle estatal. Levando-as a ter que pagar um imposto, além de estarem sob um plano que é considerado com uma “ideologia anti-cristã”

A marcha, organizada pela Associação Nacional de Igrejas Evangélicas na Bolíivia, foi caracterizada por cânticos e orações de manifestantes evangélicos, que exigiram que a lei, conhecida como “Personerías Legal”, fosse revogada.

O pastor evangélico Augusto Navarro disse que as igrejas devem ser isentas de todo tributo, porque “a fé não é um negócio, como o governo vê.”

Os representantes das igrejas evangélicas estão realizando manifestações em várias cidades. Eles oficialmente solicitaram uma reunião com o presidente Evo Morales, porque em 2010 a Igreja Evangélica comprometeu-se a trabalhar uma lei da liberdade religiosa, que não se concretizou.

Além disso, igrejas evangélicas no país apresentaram ao Tribunal Constitucional um recurso contra a Lei 351, como sendo contrária à Constituição do Estado (CPE) e os “direitos e liberdades das igrejas”, informou Agustin Aguilera, presidente da Associação de Bolívia Evangélica Nacional.

[b]Fonte: GPS Gospel[/b]