Caças brasileiros mantiveram durante esta madrugada as buscas pelo avião da Air France que desapareceu sobre o Atlântico durante um voo entre o Rio de Janeiro e Paris, com 228 pessoas a bordo.

Ainda não foram encontrados rastros da aeronave no provável local do acidente, onde um piloto da TAM diz ter visto “pontos laranja” sobre o mar, nesta segunda-feira.

Um navio mercante francês realizou uma busca nas coordenadas dos “pontos laranja” , mas não encontrou destroços ou qualquer indício de acidente.

De acordo com o último boletim da Aeronáutica, ao menos três aeronaves se revezavam durante toda a madrugada nas buscas. Segundo a FAB (Força Aérea Brasileira), aviões dotados de sistemas de rastreamento por radar e por infravermelho vão percorrer a rota da aeronave para tentar encontrar rastros do avião Airbus A330.

Em entrevista concedida no aeroporto parisiense Charles de Gaulle, destino do Airbus que sumiu, o diretor-executivo da Air France, Pierre-Henri Gourgeon, afirmou que a área onde o avião se perdeu fica a “dezenas de milhas entre o caminho da costa do Brasil e o litoral africano”, sob o espaço aéreo de Senegal.

Ao menos três navios brasileiros também serão enviados à região para procurar destroços. A previsão é de que os barcos cheguem à área, a 1.100 km da cidade de Natal (RN), no começo da noite de hoje.

O governo francês comunicou ao Comando da Aeronáutica que duas aeronaves também fazem uma varredura no território aéreo de Senegal. O departamento americano de Defesa enviou nesta segunda-feira um avião de vigilância e uma equipe de procura e resgate da Força Aérea para auxiliar nas operações de busca.

As operações estão concentradas em uma zona de sombra –sem a cobertura do radar– em pleno oceano Atlântico, a partir do ponto no qual o avião emitiu o último sinal eletrônico. Durante a viagem, o piloto do Airbus enviou alertas pane elétrica, provavelmente causada por uma tempestade.

O comando da Aeronáutica não descarta encontrar sobreviventes, mas as chances são mínimas. O voo AF 447 da Air France que desapareceu na noite deste domingo transportava pessoas de 32 nacionalidades diferentes, segundo a Air France. De acordo com a companhia aérea, há 58 brasileiros entre os passageiros.

Nesta segunda-feira, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, afirmou que as chances de encontrar sobreviventes entre os passageiros do voo 447 da Air France são pequenas. Ele e o brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva conversaram durante o dia e enviaram condolências às famílias.

Fonte: Folha Online