Uma professora britânica foi presa no Sudão acusada de insultar a fé e a religião, informou hoje o Ministério de Relações Exteriores britânico, segundo a CNN. Gillian Gibbons, 54 anos, está detida na capital do país, Cartum.

Meios de comunicação afirmam que Gibbons foi presa depois de permitir que sua turma, com idade em torno de 7 anos, desse o nome de Maomé a um ursinho. O fato pode ser considerado uma grave ofensa ao profeta Maomé. Na lei islâmica, a blasfêmia é punida com 40 chicotadas.

Gibbons pediu às crianças que dessem um nome ao urso durante uma aula sobre os hábitos dos animais na Unity High School, de acordo com a Press Association.

A embaixada britânica em Cartum disse que o a escolha do nome não deveria causar problemas, já que ele é muito comum no país. Gibbons foi presa domingo em sua casa, depois que alguns pais apresentaram uma queixa ao Ministério da Educação. A professora, acusada de blasfêmia, pode ser punida com até três meses de detenção.

Gibbons deixou Liverpool, na Inglaterra, para dar aulas no Sudão em julho. Um porta-voz afirmou que a família está muito preocupada com sua segurança e que seu ato foi inocente, que ela nunca quis ofender o islamismo.

Fonte: Terra