O biólogo e ativista ateu Richard Dawkins planeja uma ação para que o Papa seja processado e preso, durante sua visita ao Reino Unido em setembro, por crimes contra a Humanidade. Dawkins e o escritor Christopher Hitchens pediram a advogados especializados em direitos humanos que trabalhem para que Bento XVI responda pelos casos de abuso sexual que teria encoberto na Igreja Católica.

Os dois acreditam que podem aproveitar o mesmo princípio jurídico usado para prender o ex-ditador chileno Augusto Pinochet quando visitou o país, em 1998. Pinochet foi detido em Londres pelo assassinato de cidadãos espanhóis no Chile e ficou preso 503 dias.

Um dos advogados contratados disse que há três abordagens possíveis: uma queixa ao Tribunal Penal Internacional na Holanda; uma ação privada ou pública por crimes contra a Humanidade; ou um processo civil. Eles argumentam que o Papa não teria imunidade diplomática como chefe de Estado, porque o Vaticano tem status de observador na ONU em vez de ser membro de pleno direito e com direito de voto.

A Igreja rejeita as acusações contra o Papa, e o Vaticano acusou os meios de comunicação de fazerem uma campanha de difamação. Milhares de fiéis foram ontem à Praça de São Pedro receber a bênção do Papa que foi transmitida, via telão, da residência de Castel Gandolfo.

Fonte: O Globo