O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, pediu desculpas ao primeiro-ministro Nuri Al Maliki e prometeu punir o soldado norte-americano acusado de usar um exemplar do Corão como alvo para tiros, disse o governo do Iraque na terça-feira.

Em nota, Bagdá disse que o pedido de desculpas foi apresentado pessoalmente por Bush em telefonema a Maliki.

Comandantes militares dos EUA no Iraque já haviam pedido desculpas aos líderes iraquianos depois que um exemplar do livro sagrado do Islã foi achado cravejado com mais de dez perfurações de balas num estande de tiro perto de Bagdá, em 11 de maio.

O soldado acusado de fazer os disparos já foi submetido a sanções e retirado do Iraque. Os militares dos EUA não informaram se ele será submetido a corte marcial.

“O presidente norte-americano se desculpou em nome dos Estados Unidos, prometendo apresentar o soldado aos tribunais”, disse o gabinete iraquiano.

A embaixada dos EUA em Bagdá disse desconhecer o telefonema, e a Casa Branca tampouco comentou a notícia.

Fonte: Reuters