Pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo instituto Pew mostra que os evangélicos dos Estados Unidos continuam sendo mais republicanos que democratas, mas há sinais de enfraquecimento do apoio do grupo ao partido do atual presidente, George W. Bush.

Os evangélicos representam cerca um quarto dos adultos americanos, e são considerados vitais na disputa pela Presidência entre o democrata Barack Obama e o republicano John McCain.

A pesquisa do Pew, “Cenário Religioso dos Estados Unidos”, mostra que 50% dos evangélicos são republicanos ou simpatizantes do partido, enquanto 34% optam pelo partido Democrata.

A pesquisa ouviu 35 mil adultos em 2007 e por isso não representa a situação atual dos evangélicos, mas confirma a tendência de menor adesão do grupo, antecipada por outros estudos. Outra pesquisa Pew de 2007 apontou que 57% dos evangélicos brancos eram republicanos ou simpatizantes do partido, contra apenas 32% democratas ou simpatizantes.

Em 2004, 62% dos evangélicos brancos disseram ser republicanos ou simpatizantes do partido, e quase 80% dos que foram às urnas votaram pela reeleição de Bush.

Os novos dados reforçam a percepção de que a disputa pelo voto desses eleitores será dura nas eleições de novembro. Nenhum dos candidatos tem forte apelo entre os evangélicos.

McCain é visto com reservas por ter posições consideradas liberais em assuntos como o casamento gay.

Já Obama, além de carregar a aura de liberal e as desconfianças levantadas por se filho de um muçulmano, teve de abandonar a igreja que freqüentava depois de declarações polêmicas do pastor Jeremias Wright.

Evangélicos

Outra singularidade da pesquisa divulgada hoje é a ampliação do conceito de evangélico para os fiéis de igrejas protestantes negras renovadas.

Os americanos usam o texto normalmente para classificar os membros de igrejas renovadas — a exemplo das neopentecostais– freqüentadas por brancos.

Não entram na categoria os fiéis das igrejas protestantes tradicionais, que segundo a pesquisa também estão divididos. Os democratas possuem 43% de preferência contra 41% dos republicanos entre o grupo, que representa 18% dos americanos adultos.

Mas cada partido mantém a preferência entre grupos específicos. Os mórmons –1,7% dos adultos– são os mais republicanos, com 65% de apoio entre os entrevistados, e 77% dos membros das igrejas negras tradicionais identificam-se com o partido democrata. Fazem parte do grupo 6,9% dos adultos no país, segundo a pesquisa.

Ateus e agnósticos também são fortemente democratas, com 65% e 62% de apoio, respectivamente. Entre os judeus –1,7% dos adultos– 66% declararam preferência pelos democratas e apenas 24% pelos republicanos.

Membros da Igreja Católica, que representam quase um quarto da população americana, também se inclinam para os democratas. A pesquisa mostra que 48% preferem o partido democrata, contra 33% que se declaram republicanos ou simpatizantes deste partido.

Fonte: Folha Online