[img align=left width=300]https://i1.wp.com/noticias.gospelmais.com.br/files/2017/05/prisao-caio-fabio.jpg[/img]

Nesta sexta-feira (26) o pedido de habeas corpus solicitado pelos advogados de Caio Fábio foi aceito pelo desembargador Cauduro Padin.

[img align=left width=300]http://www.jmnoticia.com.br/wp-content/uploads/2017/05/Caio-F%C3%A1bio-deixa-a-pris%C3%A3o-768×576.jpg[/img]O reverendo da igreja Caminho da Graça foi preso na última quarta-feira (24) devido a condenação feita em 2011 que o declarou culpado pela criação dos documentos que tentaram incriminar Fernando Henrique Cardoso, que em 1998 era presidente do Brasil, e outros políticos do PSDB de ter contas nas Ilhas Cayman.

Ao aceitar o pedido de soltura, o desembargador entendeu que a sentença de manter o réu em regime fechado era desproporcional. “Defiro a liminar a fim de suspender o cumprimento da pena, aguardando o paciente em liberdade, expedindo-se alvará de soltura dirigido ao Centro de Recuperação e Internação da Papuda/DF”, concluiu.

Neste sábado familiares e amigos de Caio Fábio foram ao seu encontro celebrar a liberdade e ele já estará ministrando na igreja Caminho da Graça de Brasília neste domingo. Na legenda da foto a equipe que cuida das redes sociais do religioso escreveu: “pois somos o bom perfume de Cristo, o qual em toda parte nos conduz em triunfo!…”

[b]Entenda o caso
[/b]
O nome de Caio Fábio foi apontado como sendo o autor dos documentos divulgados em 1998 ligando Fernando Henrique Cardoso a uma conta nas Ilhas Cayman.

Ligado ao Partido dos Trabalhadores, o religioso chegou a ser acusado pelo próprio Luís Inácio Lula da Silva de ser o criador da documentação.

Em 2011, a juíza Léa Maria Barreiros Duarte o condenou a quatro anos de prisão, sentença esta contestada pelo religioso que foi inocentado pelos integrantes do PSDB.

“Meu coração está absolutamente em paz. Eu não irei a cadeia nenhuma”, disse Caio Fábio na época em que a decisão judicial saiu.

Ele até assumiu que teve relação com o pessoal do PT e que estes o chamaram para “juntar as informações reveladoras sobre o PSDB”, mas que ele não aceitou, pedindo para que o deixassem em paz.

Até que o caso foi reaberto e Caio Fábio foi levado pela Polícia Federal para a Papuda. Através de um áudio no WhatsApp o reverendo comunicou aos membros de sua igreja que estava sendo preso e no dia seguinte sua esposa, Adriana D’Araújo, gravou um áudio confirmando a prisão do pastor e pedindo a oração da igreja para que ele fosse liberado em breve.

[b]Fonte: JM Notícia[/b]