A Câmara realizou sessão solene nesta segunda-feira (6) em homenagem aos 61 anos da igreja O Brasil para Cristo. A homenagem foi solicitada pelo deputado Roberto de Lucena (PV-SP), que, em seu discurso, expressou sua gratidão em poder homenagear o ministério no qual ele foi criado, amadureceu na fé e viu seu próprio pai trabalhar como obreiro e pastor por 40 anos, destacou ainda, a influência do fundador da igreja – Manoel de Mello – e o pioneirismo que ele trouxe ao meio evangélico brasileiro.

“É uma honra poder prestar esta justa homenagem em sessão solene da Câmara dos Deputados à Igreja O Brasil para Cristo”, afirmou. “Eu Tinha apenas um ano de idade, quando o meu pai se converteu à fé evangélica na Igreja O Brasil para Cristo. Esta igreja, que estava vivendo seus primeiros anos, foi o ambiente onde o meu pai teve a sua experiência de fé, de conversão, começou a servir como obreiro e lá, juntamente com outros obreiros e líderes, eu aprendi a me deixar guiar pelos ensinamentos de Cristo”.

“O missionário Manoel de Mello era um líder à frente de seu tempo. Por isso a igreja foi a primeira a ocupar espaços como estádios de futebol, teatros, cinemas e praças públicas para a propagação da fé neste País. Foi, também, pioneira na utilização dos meios de comunicação para a pregação do evangelho por meio do rádio e da televisão”, informou.

“Meu pai foi pastor da Igreja O Brasil para Cristo por 40 anos, na cidade de Santa Isabel, na grande São Paulo. Eu acompanhei de perto a história dessa igreja, que iniciou-se como um movimento de evangelização e depois organizou-se até se tornar uma das maiores organizações evangélicas desse país”, acrescentou.

[img align=right width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/840×500/smart/media.guiame.com.br/archives/2017/03/06/4254817880-roberto-de-lucena.jpg[/img]Lucena também destacou a dura perseguição que a Igreja O Brasil para Cristo enfrentou nos tempos da ditadura militar, lembrando que não só os templos da igreja sofreram depredações e incêndios criminosos, mas também o próprio fundador da denominação chegou a ser preso diversas vezes.

“Essa história nem sempre foi fácil. Os obstáculos foram muitos ao longo de todas essas guerras. Aos mais antigos não faltam histórias para contar sobre templos e tabernáculos que foram depredados e queimados, sobre perseguições e afrontas. Muitos dos pastores da geração pioneira da Igreja O Brasil para Cristo foram perseguidos, alguns deles foram presos. O próprio fundador da igreja, o missionário Manoel de Mello foi preso 27 vezes”, relatou.

O deputado Ronaldo Fonseca (Pros-DF) disse que a Câmara, por ser um local onde se faz leis que devem ser seguidas, tem que ter homens e mulheres com princípios cristãos para garantir os direitos da família. “Que vocês possam mandar mais deputados e deputadas da igreja O Brasil para Cristo para fecharmos fileiras de pessoas que defendam a família brasileira”, afirmou o deputado.

A igreja foi fundada em 3 de março de 1956 pelo missionário Manoel de Mello e Silva, em São Paulo.

[b]Celebração oficial[/b]

No mês de maio de 2016 foi aprovada a Lei 13.279/2016, que inclui o dia 03 de março no calendário oficial do país como o Dia Nacional da Igreja O Brasil Para Cristo.

Falando com exclusividade ao Portal Guia-me, Roberto de Lucena apontou a aprovação da lei como uma importante conquista.

“A inserção da data comemorativa da fundação da Igreja O Brasil Para Cristo no calendário Nacional é o reconhecimento do importante trabalho que essa denominação evangélica pentecostal tem desenvolvido no Brasil ao longo dessas seis décadas. Uma história de dedicação ao povo e consagração a Deus”, afirmou.

A Igreja O Brasil Para Cristo possui quatro mil templos, dois mil pastores e mais de 1 milhão de integrantes.

[b]Fonte: Agência Câmara Notícias e Guia-me[/b]