[img align=left width=300]http://www.brasil247.com/images/cache/1000×357/crop_0_14_1280_470/images%7C1%7C05%7C10544f97b3b80fbd0ae291346f911469fd07b171.jpg[/img]

A Câmara Municipal de Goiânia rejeitou a concessão de título de cidadania para o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP).

Evangélico que se envolveu em várias polêmicas nos últimos anos relacionadas principalmente aos direitos humanos, o político foi tema de proposta para concessão de título honorífico pelo vereador Divino Rodrigues (Pros).

A proposta foi apresentada em setembro e levada nesta quinta-feira, 17, ao plenário da casa, que decide se concede ou não o título. Por 18 votos a 5, a homenagem teve a maioria dos votos. Mas o resultado foi insuficiente para que o deputado receba a homenagem. A quantidade minima para que ocorra a aprovação é de 24 votos.

Dentre os vereadores que votaram contra, Djalma Araújo (Rede) disse que não pode agraciar alguém que fere flagrantemente os direitos humanos e a Constituição. “O artigo 5º da Constituição é claro: todos são iguais perante à lei, sem distinção de qualquer natureza. Mas ele fazia questão de dizer que somos diferentes. Para a lei, garanto, que todos devem ser considerados iguais. O povo do Brasil quis assim e assim será”.

Outros vereadores de Goiânia se revezaram para afirmar que Feliciano é extremista, homofóbico e fundamentalista. Votaram contra, além de Djalma Araújo, os seguintes vereadores: Carlos Soares (PT), Elias Vaz (PSB), Clécio Alves (PMDB) e Jorge do Hugo (PSL).

[b]Fonte: Diário da Manhã[/b]