Na tribuna livre da Câmara Municipal de Cuiabá Ely Maria da Cruz Mendonça apresentou dados, estudos e outros argumentos contra o aborto. Ela é uma das integrantes do Movimento Nacional em Defesa da Vida, “ Brasil Sem Aborto”, Coordenadora de Promoção Humana da Renovação Carismática Católica- Movimento da Igreja Católica Apostólica Romana.

A descriminalização do aborto contida no Projeto de Lei 1135/91 está em tramitação na Câmara Federal o que na opinião de Ely é inconstitucional. “ Não pode ser objeto de aprovação pelo Congresso Nacional por infringir o disposto no art.60, parágrafo 4º, IV do ADCT, que diz que não será objeto de emenda constitucional matéria que envolva os direitos e garantias individuais”, afirmou.

Segundo Ely a discussão a respeito do aborto deve considerar os vários aspectos: moral, ético, legal e religioso. “O atual catecismo da Igreja Católica , estabelece que “ a vida humana deve ser respeitada e protegida de maneira absoluta a partir do momento da concepção”, explicou.

Na opinião de Ely a vida humana tem um valor absoluto, em razão disso , ela não pode ser submetido a plebiscito, por tratar-se de um direito fundamentalmente amparado pela Constituição.” A proposição contida no projeto 1135/91, segundo a coordenadora do movimento, não contém valores éticos, morais e ainda agride a vida de um ser indefeso. “Não pode o Congresso chancelar essa indigitada proposta que permite o aborto a qualquer tempo e a sua inclusão como de saúde pública”, disse.

Fonte: Jornal Documento