A Visão Nacional para a Consciência Cristã (VINACC) realizará neste ano uma grande mobilização para denunciar a perseguição contra os cristãos nos países comunistas.

Em declaração ao jornal “Paraíba Online”, o Pr. Euder Faber, presidente da VINACC, declarou: “A ideologia comunista tem espalhado morte e sangue ao longo dos anos. O próprio nazismo matou menos gente que os comunistas. Comunismo é intolerância, perseguição e genocídio, além do fim das liberdades democráticas. Por isso, vamos chamar a atenção da mídia e das autoridades sobre esta grave questão”.

O jornal destaca que, segundo o Pr. Faber, os partidos comunistas “deveriam ser considerados iguais a partidos nazistas”, pois têm um conteúdo ideológico ofensivo e histórico de perseguição aos evangélicos. “Eu não vou ficar nenhum minuto calado e botarei a boca no trombone contra esta ideologia perniciosa”, afirmou ele.

O presidente local do PCdoB (Partido Comunista do Brasil), o sindicalista José do Nascimento Coelho, rebateu: “Historicamente, nós, os comunistas, fomos os primeiros a sair na defesa da liberdade de religião, sobretudo no Brasil, além da liberdade de expressão em geral. Não se pode, portanto, comparar o regime nazista com os comunistas”.

Perseguidores de Cristo

Evidentemente, o equívoco ou má fé é grande em tal postura, pois a verdade simples é que os comunistas, embora não tenham sido os primeiros, foram implacáveis perseguidores dos seguidores de Jesus Cristo.

Além disso, foram os comunistas soviéticos que abasteceram amplamente a máquina de guerra nazista e fizeram com eles acordo para invadir, dividir e saquear a Polônia, fato que provocou a Segunda Guerra Mundial. Os comunistas soviéticos, numa verdadeira briga entre criminosos, só atacaram os nazistas porque foram por eles traídos.

Tanto o nazismo quanto o socialismo odiavam o capitalismo e exigiam o controle sobre a economia nacional e sobre a vida das pessoas. As duas ideologias, em suas tentativas de controlar o cristianismo, acabaram perseguindo, torturando e matando milhões de cristãos.

Nazismo e comunismo desencadearam e entraram na Segunda Guerra Mundial como amigos e aliados. Para que não haja nenhuma dúvida, nazismo era a forma abreviada como era conhecido o Partido dos Trabalhadores Nacional Socialista Alemão.

Influência no Brasil

Atualmente no Brasil, onde não têm o poder total, as ações dos comunistas, socialistas, marxistas, progressistas e seus irmãos ideológicos são sutis: eles apóiam politicamente a matança de crianças (por meios de leis de aborto) e a perseguição aos cristãos (por meio de leis que dão aos ativistas homossexuais direitos especiais e proíbem os cristãos de expressarem a condenação bíblica ao homossexualismo, leia mais aqui).

Em países como Coréia do Norte, China, Cuba, Vietnã e Laos, onde eles têm poder total, suas ações não precisam de sutileza: eles matam quem querem, sejam bebês em gestação ou cristãos que crêem que Deus está acima do Estado e que o Estado deve prestar contas a Deus.

No entanto, mesmo sem ter o poder total nas mãos, o autoritarismo antiético e anticristão do comunismo é evidente no Brasil. Em 2006, Jandira Feghali, uma militante feminista do PC do B que sempre lutou no Congresso Nacional em favor da ampliação das leis de aborto, se candidatou ao Senado.

Censura

Quando grupos católicos distribuíram folhetos alertando os eleitores católicos sobre essas posições, a coalizão partidária “Um Rio para Todos” (PT, PSB e PCdoB) conseguiu que fosse feita uma operação de busca e apreensão na arquidiocese e no gabinete do cardeal Eusébio Oscar Scheid, arcebispo do Rio, em busca dos folhetos.

A Justiça Eleitoral chegou ao ponto de tentar intimar o cardeal para orientar os padres a não fazerem recomendações políticas, porém nunca houve semelhante ameaça da justiça contra bispos católicos adeptos da Teologia da Libertação recomendando políticos do PT e de outros partidos esquerdistas — sem o apoio dos quais o PT jamais chegaria ao poder.

Apesar de seus erros na defesa de sua ideologia, José do Nascimento Coelho relatou que hoje o comunismo tem simpatia inclusive de católicos e evangélicos. E deixou claro que o PCdoB vai solicitar o direito de resposta no programa de rádio da VINACC por conta das declarações feitas à reportagem do “Paraiba Online”.

Fonte: Portas Abertas