O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) começou ontem uma campanha nacional de coleta de assinaturas em favor de uma lei que pode vetar candidatos com “ficha suja”. A meta do movimento é fechar a “Semana da Pátria”, em 7 de setembro, com ao menos 500 mil assinaturas.

Desde abril, a campanha obteve 200 mil nomes. A idéia é espalhar postos de coleta por todo o país. A igreja Católica em São Paulo vai intensificar a campanha de coleta de assinaturas. Ontem à noite, o bispo dom Odilo Scherer reuniu promotores, juízes e integrantes de movimentos em favor da ética na política em um ato na arquidiocese de São Paulo, para dar impulso à campanha de conscientização dos eleitores.

A campanha tem apoio da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e da Comissão Justiça e Paz. Lideranças de outras religiões também participam. “Queremos apresentar um projeto para criar a lei anti-ficha suja e barrar candidatos que respondam a processos”, argumenta dom Odilo.

Para ser admitido na Câmara dos Deputados, um projeto de iniciativa popular precisa ter pelo menos 1,6 milhão de assinaturas.

Fonte: O Tempo