Um dos eventuais candidatos à sucessão do arcebispo de Canterbury e líder da Comunhão Anglicana, o arcebispo de York, John Santamu, 62 anos, tem sofrido velada rejeição por ser negro.

A revelação partiu do reverendo Arun Arora, responsável pela comunicação da Igreja da Inglaterra, e saiu publicada primeiro no seu blog e depois no jornal Sunday Telegraph.

Trata-se, disse Arora, de uma verdadeira campanha contra o único negro entre os bispos da Igreja da Inglaterra. Ele criticou o esnobismo inglês, a maneira como patrícios veem os “outsiders”. “Na pior das hipóteses, trata-se da expressão desse tipo de racismo que se esconde sob a superfície de nossa sociedade e quem vem, pontualmente, à luz quando um negro pretende romper as cadeias históricas”, comentou.

Sentamu nasceu em Campala, Uganda, e, em 1974, fugiu do regime de Idi Amin e refugiou-se na Inglaterra. Estudou teologia em Cambridge. Ele é um religioso comprometido com questões de justiça e paz, mas também tem posição bem definida quanto à ética sexual. O arcebispo é contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a ordenação de gays e lésbicas ao ministério e tem receios a respeito da prática da fecundação assistida porque ela “prescinde do pai”.

A Igreja da Inglaterra tem 26 milhões de fiéis, menos que as igrejas da Nigéria e de Uganda. Outros dois prováveis candidatos à vaga de Williams são os arcebispos de Conventry, Christopher Cocksworth, de Norwich, e Graham James. O Sunday Telegraph trouxe a manifestação de outros dois bispos, mas anônima, que são contrários à indicação de Sentamu à liderança da Comunhão Anglicana.

[b]Fonte: ALC[/b]