“Somos chamados a viver a perfeição e quando traímos esta confiança não podemos criticar somente a mídia. Pode ser que alguns meios de comunicação apresentem a Igreja como um falso ídolo. Mas, de qualquer maneira, a pedofilia é nossa culpa e não da mídia.”

Assim, o Cardeal estadunidense John Patrick Foley, grão-mestre da Ordem eqüestre do Santo Sepulcro de Jerusalém e presidente emérito do Pontifício Conselho das Comunicações Sociais, falou numa entrevista ao jornal vaticano, “L’Osservatore Romano”, sobre os casos de pedofilia cometidos por uma parte do clero estadunidense e ao peso que a mídia atribuiu a esses casos.

“É uma pena que muita coisa boa que a Igreja fez seja esquecida por causa dos escândalos. Muitas pessoas são hostis à Igreja, mas é verdade que de nós se espera somente o bem”, ressaltou o purpurado.

Segundo ele, a Igreja deve ser aberta, honesta e prudente, pois a mídia não reflete somente a cultura de uma nação, mas contribui a determiná-la.

Fonte: Rádio Vaticano