Os momentos de crise espiritual da madre Teresa de Calcutá, nos quais ela chegou a duvidar da existência de Deus, “são normais”, segundo o cardeal espanhol Julián Herranz.

Herranz, ex-“ministro” de Justiça do Vaticano, explicou, em entrevista publicada hoje pelo jornal “La Repubblica”, que “estes momentos de crise provaram que os grandes santos são normais”.

O livro “Mother Teresa: Come Be My Light” (Madre Teresa: Venha Ser Minha Luz, em tradução livre) agrupa as cartas enviadas a seus confessores e superiores que demonstram que ela passou a maior parte de seus últimos 50 anos de vida no meio de uma profunda crise espiritual.

O volume foi publicado pelo sacerdote Brian Kolodiejchuk, que foi o responsável por reunir a documentação para o processo de canonização da madre Teresa, iniciado em 2005.

“A vida dos santos está cheia de confissões parecidas, pessoas que provaram o deserto da noite da fé”, assinalou Herranz, que agora é membro do conselho de cardeais da congregação para as causas dos Santos.

Para o espanhol, vários santos tiveram momentos de “fraqueza”, como conta a Bíblia, desde Jesus no Jardim do Getsêmani e na cruz, até as três negações de Pedro.

“Esta é a prova de grandeza da fé da beata madre Teresa e nada tira Sua Santidade, por isso o processo de canonização não se verá condicionado a estas cartas”, acrescentou.

Em um trecho dessas mensagens publicado no último número da revista “Time”, a religiosa afirma: “Sofro porque busco e não encontro Cristo, por escutar sem ouvir. O sorriso é uma máscara ou um manto que cobre tudo”.

Fonte: EFE