Ataques planejados e difusos para desestabilizar a presença da Igreja na Índia. Esse é o objetivo de alguns grupos radicais hindus segundo o Card. Oswald Gracias, arcebispo de Mumbai.

Segundo o arcebispo, essa campanha “não-oficial” pretende criar dificuldades para a Igreja na Índia, marginalizá-la cada vez mais e reduzir sua influência na sociedade.

O cardeal manifestou publicamente sua preocupação cerca de quatro meses depois dos ataques sofridos pelos fiéis católicos em Orissa (Índia centro-oriental), que deixaram mortos, feridos e centenas de desabrigados.

As declarações foram feitas depois de ler os relatórios e examinar os documentos oficiais do governo: “Os episódios em Orissa parecem ter sido ataques combinados. O que mais me preocupa é que o que ocorreu nesse Estado poderia ser parte de um jogo mais amplo, que visa criar dificuldades para a Igreja aqui e em todos os lugares”.

O cardeal também chamou a atenção para a responsabilidade de grupos e movimentos, como o Baratiya Janata Party, que instigam por meio da ideologia, construindo a base de ação dos fundamentalistas violentos. Os próprios líderes hindus, destacou o purpurado, não conseguem controlar as facções extremistas e radicais.

O perigo está, em síntese, na difusão do “vírus do anticristianismo”, principalmente num contexto geral de deterioração das relações inter-religiosas, também por causa de novas leis que, em alguns estados indianos, proíbem as conversões e geram suspeitas contra as minorias religiosas.

Fonte: Rádio Vaticano