O cardeal mexicano Norberto Rivera denunciou ter recebido ameaças de morte via ligações telefônicas anônimas na Catedral Metropolitana e na Basílica de Guadalupe, o principal santuário católico nacional.

“Estou em risco continuamente. Até agora não tenho medo, mas com freqüência recebemos ligações me ameaçando. Tudo isto não é saudável para o país”, afirmou o religioso em uma entrevista à rede de televisão mexicana Televisa.

A Arquidiocese do México e a Ordem dos Advogados Católicos culparam diretamente o Partido da Revolução Democrática (PRD) e os líderes da Rede de Sobreviventes de Abusos Sexuais de Sacerdotes pelos atos.

Rivera foi processado nos Estados Unidos por proteger um sacerdote que abusou sexualmente de mais de 80 crianças em paróquias do México e do país vizinho.

O porta-voz do PRD, Gerardo Fernández, negou que membros do partido estejam por trás dos atos e pediu ao arcebispo que apresente provas ou se retrate.

A denúncia do mais prestigioso prelado católico mexicano ocorreu depois que nesta segunda-feira o porta-voz da Arquidiocese, Hugo Valdemar, denunciou que o cardeal foi agredido por ativistas de esquerda quando saia no domingo para realizar a homilia na Catedral Metropolitana e dirigia-se a seu veículo.

Os manifestantes “protestaram, cuspiram, fizeram ameaças de morte” contra o cardeal, diante da complacência da polícia local, disse Valdemar.

O cardeal disse que até agora não avisou as autoridades federais ou locais sobre as ligações, mas comentou que não pode viver com a insegurança.

Afirmou que devido a estes incidentes teve que ordenar o fechamento da catedral e pedir as autoridades a adoção de medidas para garantir a segurança do templo.

Fonte: Folha Online