O cardeal Stanislaw Dziwisz, secretário particular de João Paulo II durante quase 40 anos, disse em Buenos Aires que a data de beatificação do papa polonês “depende de Bento XVI”.

“Como bispos, não queremos interferir na decisão do papa. Não queremos que seja uma decisão apressada”, destacou o arcebispo de Cracóvia, que visita a capital argentina.

O cardeal deu tais declarações depois de ser perguntado sobre recentes versões publicadas por jornais italianos segundo as quais João Paulo II será beatificado em 16 ou 17 de outubro de 2010.

“Acabo de saber dessa notícia”, disse sorridente o cardeal polonês, que, no entanto, afirmou que não se pode deixar de lado o “grande reconhecimento” popular da “herança de João Paulo II”.

Ao comentar se a publicação das cartas entre Karol Wojtyla e sua amiga polonesa Wanda Poltwska podem representar um impedimento ao processo de beatificação, Dziwisz criticou a divulgação das correspondências e reiterou que havia muita gente com quem João Paulo II tratava pessoalmente, “principalmente com quem precisava de ajuda”.

“Ela tinha ficado com muitos traumas por ter estado em campos de concentração (durante a Segunda Guerra Mundial) e a aconselharam que escrevesse para libertar-se desses traumas”, apontou.

O arcebispo de Cracóvia disse que os milagres do falecido pontífice “não são lendas, mas fatos”, e lembrou que, quando Wojtyla estava vivo, “tinha proibido de falar sobre isso”.

“Após sua morte, pudemos falar e todos sabem. Ficaram registrados documentos”, afirmou.

Stanislaw Dziwisz, que será investido hoje como Doutor Honoris Causa pela Universidade Católica de Buenos Aires, lembrou João Paulo II como uma pessoa “muito singela, pouco exigente e que nunca buscava nada para ele”.

Fonte: EFE