O cardeal primaz do Brasil, Geraldo Majella Agnelo (foto), exortou nesta quinta-feira em Berlim o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva a “trabalhar mais contra a corrupção no país” e a seguir todas as normas éticas para ser mais efetivo.

“No Brasil estamos pedindo a ele sobretudo que trabalhe contra a corrupção, de forma efetiva, com uma política que se atenha a todas as regras da ética”, disse Majella Agnelo em declarações à AFP.

O prelado visita a Alemanha para expor à Conferência Episcopal alemã as conclusões da V Conferência Episcopal da América Latina e do Caribe (Celam) realizada no mês passado em Aparecida (São Paulo, Brasil) e inaugurada pelo Papa Bento XVI.

“Gostaríamos que todas as atuações políticas (do presidente Lula) estivessem pautadas pela ética. O Estado pode ser laico, mas tem que ter um fundamento para atuar com honestidade, com respeito aos direitos humanos, para promover uma política nesse sentido”, ressaltou o cardeal primaz brasileiro.

Majella Agnelo, convidado pela obra episcopal alemã Adveniat, de ajuda à Igreja Católica latino-americana, foi recebido esta quinta-feira em Berlim pelo presidente da Alemanha, Horst Koehler, com quem trocou opiniões sobre a situação dos países da América Latina.

“Concordamos (com o presidente Koehler) que as relações com os países latino-americanos não devem ser apenas para satisfazer interesses comerciais ou econômicos, e sim que é preciso ajudar também para que exista um crescimento do bem comum, da solidariedade, para que a situação de nossos pobres melhore”, afirmou o cardeal.

O Celam está comprometido agora em enfrentar “enormes desafios na América Latina, para melhorar a difusão e a vivência do Evangelho”, contra “a queda do número de fiéis católicos, o aumento da pobreza, a violência e a injustiça, nestes tempos de subjetivismo, individualismo, egoísmo e relativismo em nossas sociedades”, ressaltou o bispo.

Fonte: Último Segundo