A Catedral Metropolitana de Ribeirão Preto, a 319 quilômetros da capital, começou a receber neste fim de semana o dízimo por meio de cartões de crédito e de débito. Em uma parte da Catedral é possível ver guichês, que lembram uma agência bancária, cada um deles para uma função.

O primeiro é para doações com cartão; o segundo, para agendamento de batizados e casamentos; e o terceiro, para o fiel conversar com o padre.

A Igreja está aceitando cartões de duas empresas para débito e crédito, sem valor mínimo. A doação fica a critério da fé e do limite da fatura de cada um. Quem começou a usar o cartão na igreja, depois da missa, aprovou a idéia.

– Fica mais fácil, pois não precisamos andar com dinheiro – diz a empresária Jaquiley Cudinhoto.

Vale lembrar que quem está longe também pode fazer a doação pela internet. O fiel precisa acessar a página da igreja para fazer a transferência bancária ou fornecer o número do cartão de crédito.

– Isso melhora a arrecadação e também é um bem facilitador para os fiéis e a comunidade – diz o padre Francisco Jáber Zanardo Moussa, responsável pela paróquia.

Enquanto a maquininha de cartão tenta ganhar espaço na paróquia, as cestinhas ainda andam de mão e mão, recebendo a generosidade dos fiéis que resistem à idéia do dízimo eletrônico.

– Facilita para muita gente, mas eu prefiro a cestinha. Ela é menos complicada – diz a aposentada Neli Borin.

Fonte: O Globo