A exposição que mostrava figuras obscenas, que denigrem a imagem de Jesus Cristo, João Paulo II e a iconografia cristã, chegou ao fim cinco dias antes da data prevista pela Prefeitura de Ibiza, Espanha.

A mostra estava sendo realizada na antiga igreja de Santa Maria das Graças, que teve seu uso concedido pelas autoridades eclesiásticas à Prefeitura. O bispo de Ibiza, Dom Vicente Juan Segura, afirmou que foi ele quem deu por terminada a concessão dessa igreja, finalizando, assim, a polêmica exposição.

Dom Segura presidiu à oração do terço, na igreja da Santa Cruz, e expressou sua “gratidão aos paroquianos”, por sua “adesão a Jesus Cristo e à Igreja”. Do mesmo modo, recordou que esta, “uma mostra a que chamam arte”, constituía uma grave ofensa para os católicos.

O prelado reconheceu ter “sofrido muito nestes dias”. Entretanto _ acrescentou _ “não estive sozinho”. “Muitos homens, mulheres e jovens me manifestaram seu apoio, o que me encheu de satisfação.”
Finalizando, comentou ter recebido numerosas manifestações de apoio, de toda a Espanha e América.

Fonte: Rádio Vaticano