Pastor Flávio Lima disse que fiéis de 3 mil igrejas batistas vão enviar cartas e e-mails para o Palácio do Planalto.

O diretor dos programas de TV católicos ‘Santa Missa’ e ‘Palavra de Vida’, padre Dionel Amaral, e o pastor Flávio Lima, apresentador e diretor do ‘Reencontro’, vão expandir campanha, lançada no último domingo, de mobilização de católicos e evangélicos contra a suspensão, a partir de setembro, da transmissão dos programas religiosos na TV Brasil ou qualquer outro veículo do grupo.

O Conselho Curador da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) decidiu, em 22 de março, “aumentar a pluralidade religiosa do canal”.

A Arquidiocese do Rio e a Primeira Igreja Batista de Cabo Frio aguardam manifestação pública da presidenta Dilma Roussef contrária à decisão do conselho. Tanto o padre Dionel quanto o pastor Flávio estão recomendando a seus fiéis que enviem cartas e e-mails a Dilma.

[b]CARTA AO VATICANO
[/b]
“Na carta entregue ao Vaticano pelo ministro Gilberto Carvalho (da Secretaria-Geral da Presidência), a presidenta expressa que quer o melhor entendimento entre o governo e o Papa. Mas pergunto: Que bom entendimento é esse que não leva em consideração um programa dos primórdios da extinta TV Educativa (atual TV Brasil), lançado em 1975?”, criticou o padre Dionel, referindo-se ao ‘Palavra de Vida’, há 36 anos no ar.

O pastor Flávio Lima do programa ‘Reencontro’, apresentado aos sábados a partir das 7h45, comunga da mesma ideia. Segundo ele, fiéis de 3 mil igrejas batistas vão enviar cartas e e-mails para o Palácio do Planalto. “Alegam que surgiram reclamações de minorias religiosas. Estou há 39 anos no ar e sequer fui procurado para uma conversa. Fiquei sabendo da notícia pela imprensa. Uma total descaso”, disparou.

[b]IDEIA VEM DE TEMPOS ATRÁS
[/b]
A Secretaria de Imprensa da Presidência da República informou que o conselho curador da EBC tem total poder de decisão sobre o conteúdo da emissora. Já a assessoria de imprensa da EBC afirmou que a ideia figura entre os conselheiros há tempos. Os três programas são exibidos em duas horas e 40 minutos e correspondem a 1,85% do tempo da programação.

[b]Mais ensino religioso no Rio
[/b]
Projeto de lei da prefeitura tramita na Câmara Municipal, em caráter de urgência, pela criação de 600 vagas para professor de ensino religioso no Rio. Com salários de R$ 1.286 a R$ 1.627, os novos mestres teriam de cumprir carga horária de 16 horas semanais. O texto de autoria do Executivo exige formação acadêmica e prevê que os docentes deverão trabalhar em sala de aula a tolerância religiosa, preparando o aluno para entender os valores éticos de todas as religiões.

[b]Fonte: O Dia[/b]