Os bispos europeus se insurgem: “A instrumentalização dos embriões humanos para fins de pesquisa, ou seja, para a sua destruição, não é aceitável.”

O bispo de Roterdã, Dom Adrianus Herman van Luyn, e Mons. Noel Treanor, respectivamente presidente e secretário-geral da Comissão dos Episcopados da União Européia (COMECE), fizeram um apelo, em nome das 34 conferências episcopais européias, à opinião pública, para que esteja atenta ao texto do sétimo programa de pesquisa submetido, na última segunda-feira, ao Conselho de Ministros da União Européia.

“A gravidade da decisão tomada nos obriga a sublinhar, uma vez mais, as implicações éticas, sociais e bioéticas desse debate, para a Europa do futuro” _ afirmam.

Numa nota, os bispos europeus convidam os católicos a tomar consciência do desafio antropológico que se insere nesse debate. “Um desafio _ acrescentam os bispos _ que implica a defesa da dignidade humana.”

Os bispos sublinham que “o embrião humano tratado como um objeto de pesquisa não é compatível com o respeito à dignidade humana” e que este é um aspecto “não aceitável” no âmbito dessa questão.

Fonte: Rádio Vaticano