O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, rejeitou ontem um documento divulgado pela Conferência Episcopal Venezuelana, criticando a reforma constitucional que ele está promovendo.

Chávez qualificou o texto de “verdadeira vergonha”. “Dizem que a reforma é moralmente inaceitável, mas eles é que são moralmente inaceitáveis, nos dá vergonha desses bispos”, declarou em um telefonema à TV estatal.

A Assembléia venezuelana aprovou na sexta-feira a reeleição presidencial sem limites – um dos mais polêmicos artigos da reforma. Assim que o Parlamento aprovar as 61 propostas – o que deve ocorrer até o início de novembro -, as autoridades eleitorais convocarão um referendo popular sobre as medidas.

Fonte: Estadão