A existência de um conflito na Igreja é um sinal de saúde e vitalidade, a chefe da Igreja Episcopal disse a uma platéia na Web ao vivo, quarta-feira.

“Se não há conflito, isso significa que nós estamos mortos,” disse a Bispa Presidente, Katharine Jefferts Schori. Sempre houve empurra e puxa na Igreja. é sinal que a diversidade entre nós é apaixonante e isso é um presente de Deus, não algo para ser esmagado.”

A nativa de Seattle estava convidando os episcopais e o público em geral para a primeira de uma série de webcasts, que foram concebidos para promover uma melhor compreensão da Igreja e para abordar questões atuais.

Jefferts Schori acaba de regressar de uma reunião em Londres, envolvendo um número de conservadores Anglicanos – 38 bispos-chefes da Comunhão Anglicana de províncias – e outros na Comissão Permanente. Durante a reunião, 23-27 julho, membros da comissão rejeitaram uma proposta que a Igreja Episcopal será separada do resto do corpo global. Separar a Igreja nos Estados Unidos inibiria o diálogo sobre questões de sexualidade e, portanto, seria inútil, concordaram eles.

“Havia… um reflexo claro pelos membros do grupo de que a presença da Igreja Episcopal é importante para que haja diálogo, e apesar da vontade do grupo de nos excluir, um membro foi chamado para que mantivesse o compromisso de diálogo, mesmo quando nós não concordamos com alguma coisa,” disse Jefferts Schori, durante o webcast.

Observando a importância de permanecerem unidos, a líder Episcopal disse: Juntos, podemos servir a missão de Deus de forma mais eficaz.

A proposta surgiu meses depois que o corpo dos Estados Unidos ordenou seu segundo bispo abertamente homossexual em Los Angeles, apesar dos apelos à contenção da Comunhão Anglicana. A ordenação causou tumulto com anglicanos conservadores, chamado como um ato de desafio à Escritura e à comunhão de 77 milhões de membros. A Igreja Episcopal consagrou seu primeiro bispo abertamente gay em 2003.

Quando perguntado por um telespectador do webcast, “A Comunhão Anglicana nos abandonou?” Jefferts Schori respondeu: “ninguém abandonou ninguém.”

“Nós continuamos a estar comprometidos com a missão de Deus juntos mesmo que [sejamos] certamente alguns membros da Comunhão Anglicana, já que há alguns membros da Igreja Episcopal que não concordam com as decisões de diversos organismos, quer na Igreja ou em outros.”

A diversidade é uma bênção, ela deixou claro, nesta quarta-feira, e seu objetivo como bispa presidente é ajudar os outros a reconhecerem isso.

“Eu fui clara desde o início que eu acho que uma grande parte do nosso desafio nos tempos atuais é reconhecer que somos uma Igreja multicultural de muitas maneiras diferentes – em termos de nacionalidade e língua, em termos de gênero e orientação, em termos de status sócio-econômico, em termos de nível educacional – e valor para a diversidade, para vê-la como uma bênção e não algo para ser criticado ou evitado,” disse ela em resposta a uma pergunta sobre o objetivo primário ela pretende atingir até o final de seu mandato de nove anos.

Embora a polêmica na Igreja Episcopal em grande medida tenha envolvido questões da sexualidade, Jefferts Schori apontou para a realidade enfrentada por seus irmãos em outras partes do mundo.
“é incrível o quanto a conversa tende a mudar quando um dos parceiros de conversação irá realmente lidar com questões de vida e morte,” observou ela. “é um luxo em muitas partes da Igreja Episcopal falar sobre questões desafiadoras da diferença a partir de um nível teórico.”

“Quando a questão é de fome, de guerra, de doença ou de risco de vida… as pessoas que discordam sobre algumas questões, geralmente, descobrem que têm muito mais coisa em comum do que pensavam e o que eles têm em comum serve como a imagem de Deus bem na frente delas.”

A líder Episcopal chamou a atenção para a Igreja Independente Filipina – com quem eles estão em plena comunhão – e as execuções extrajudiciais de ministros nos últimos anos. Dois líderes leigos, um bispo e dois padres foram assassinados, os líderes da Igreja estão esperando que o novo governo responda às injustiças.

Enquanto isso há o medo de que a violência no Sudão seja renovada nos meses que antecederão o referendo de janeiro que irá determinar se o sul do Sudão se tornará um estado independente, observou ela.

E nos Estados Unidos, o problema da imigração continua por resolver. Jefferts Schori manifestou o seu apoio para encontrar maneiras para que as pessoas venham para os Estados Unidos para trabalhar, para reagrupamento familiar e para regularizar a situação de imigração dos que entraram ilegalmente no país.

Jefferts Schori é a primeira mulher a presidir como bispa da Igreja Episcopal. Ela foi eleita em 2006 e serve como líder Episcopal de membros em 16 países.

[b]Fonte: Christian Post[/b]