O governo chinês proibiu propagandas de conteúdo “sugestivo” na televisão e rádio por “corromperem a sociedade”, informou a agência de notícias oficial Xinhua.

Os anúncios afetados, segundo a Administração Estatal de Rádio, Filme e Televisão, a AERFT, seriam os de produtos como suplementos vitamínicos ou alimentares que estimulam o sexo, além de anúncios de calcinhas e sutiãs considerados “vulgares”.

Numa circular, a AERFT disse que os anúncios com linguagem sugestiva ou mulheres usando roupas minúsculas são “prejudiciais à sociedade”, informou a Xinhua.

“Anúncios sexualmente sugestivos e anúncios ruins não apenas enganam os consumidores e prejudicam a saúde pública, mas corrompem a sociedade e são moralmente depravadores. Eles diretamente desacreditam a indústria do rádio e TV”, afirma a nota.

A circular ainda ameaça as empresas que não cumprirem as orientações com penas severas.

A AERFT está aumentando a pressão a pouco menos de um mês do Congresso do Partido Comunista, realizado a cada cinco anos.

No mês passado, o orgão proibiu um programa de calouros por ser “vulgar” e no início desta semana ordenou um monitoramento restritivo de programas de TV do estilo Pop Idol.

Analistas afirmam que, para o governo, os participantes desse tipo de programa talvez sejam vistos como um modelo ruim para os jovens.

Fonte: AFP