A Associação de Ajuda à China acaba de emitir um comunicado alertando para o fato de que nem a tragédia e a urgência de resgatar os sobreviventes têm impedido a ação das autoridades chinesas na repressão aos cristãos.

A Associação de Ajuda à China (CAA, sigla em inglês), que está colaborando ativamente com as igrejas não registradas chinesas para enviar amor, carinho e ajuda aos sobreviventes do terremoto que abalou o país e destruiu boa parte da província de Sichuan, informa que nos últimos dois dias, apesar da atenção voltada aos esforços para o resgate das vítimas do terremoto, uma casa em que se ministravam aulas de estudos bíblicos em Hebei e uma igreja em Heilongjiang foram invadidas e forçadas a fechar.

Fontes de uma igreja que pediram para não serem identificadas informaram à CAA que em 13 de maio, por volta das 10h30, no horário local, uma escola bíblica localizada na cidade de Yanjiao, na província de Hebei, foi invadida por mais de 30 oficiais da Agência para Assuntos Religiosos de Sanhe, da Agência de Segurança Pública de Sanhe, da Agência de Segurança Pública da província de Hebei e oficiais do Partido Comunista.

A CAA relata que foram levados três discos rígidos de computador e que os estudantes foram vigorosamente ordenados a voltarem para as cidades natais deles.

O pastor Gao Er Qiao, de Pingdingshan City, província de Henan; Jiang Mei Hao, da Mongólia Interna; e o intérprete coreano Piao Zhihui foram interrogados por cinco horas e libertados depois.

Esta escola bíblica em particular foi estabelecida em 2006 por missionários da Coréia do Sul e atende a mais de 100 estudantes de diversas províncias da China.

Igreja não registrada invadida

Além disso, a CAA disse que no dia anterior, uma igreja não oficial, que se encontra na cidade de Daxing, município de Tailai, na província de Heilongjiang, foi invadida pelo chefe local acompanhado por mais três pessoas.

Eles alegaram que a reunião era um “ajuntamento de ilegal” e tomaram seis mil iuanes (R$ 1550) de ofertas da igreja, contrariando seus próprios procedimentos legais. A igreja recebeu um “recibo” declarando que estava, a partir daquele dia, oficialmente fechada.

Um líder cristão chinês está convocando as igrejas de todo o mundo para orar e prover ajuda para as vítimas do terremoto na província de Sichuan. A Associação de Ajuda à China (CAA, sigla em inglês) disse em um comunicado à imprensa que “lamenta com os chineses o sofrimento durante este momento de grande perda”.

Fonte: Portas Abertas