Operações nas regiões posteriores do cérebro costumam elevar sentimento de espiritualidade dos pacientes.

Vários distúrbios psiquiátricos estão vinculados a sentimentos de caráter religioso, e há hipóteses de que as pessoas tendem a ter uma visão mais espiritualizada do mundo após determinadas intervenções cirúrgicas no cérebro, como retirada de tumores benignos do lobo parietal e do occipital.

Para pesquisar o tema, o neurocientista Cosimo Urgesi, da Universidade de Udine, na Itália, realizou um estudo no qual os voluntários preenchiam diversos questionários sobre sua personalidade antes e depois da cirurgia.

Eles informaram, entre outras coisas, com que rapidez esqueciam o tempo e o espaço à sua volta durante uma atividade emocionante, se costumavam sentir-se parte de algo maior e quão religiosos eram.

Como demonstrou a análise das respostas, as operações nas regiões posteriores do cérebro – principalmente no córtex parietal inferior esquerdo e no giro angular direito – estavam associadas a uma elevação do sentimento de espiritualidade.

Entre as áreas mais estreitamente associadas à crença e à fé encontram-se regiões do córtex que também processam informações sobre percepção corporal, orientação espacial e alucinações sensoriais, o que pode ajudar a explicar a maior sensibilidade a questões ligadas à religião, já que múltiplos aspectos desempenham importante papel nas experiências extrassensoriais.

O trabalho foi publicado no periódico Neuron.

[b]Fonte: Mente Cérebro[/b]