A classificação da Itália para a Eurocopa de 2008 em primeiro lugar do grupo B aliviou a pressão sobre o técnico Roberto Donadoni. Feliz com o feito, o comandante se empolgou por ter superado a desconfiança após Marcelo Lippi deixar a seleção depois de vencer a Copa do Mundo em 2006.

“Não quero dizer uma blasfêmia, mas a história do (papa) Bento XVI é, sob certo ponto de vista, parecida com a minha. Tanto eu como o papa iniciamos nossa missão sob a sombra de nossos antecessores, antes de conquistar a confiança das pessoas”, comparou.

“Bento XVI foi eleito após o pontificado inesquecível de João Paulo II e eu cheguei à seleção nacional depois do reinado de Marcello Lippi, que conquistou a Copa do Mundo na Alemanha”, completou. “As comparações com nossos antecessores foram inevitáveis, mas pouco a pouco fomos aceitos”.

Em mais uma citação à Igreja Católica, Donadoni apontou a religião como fundamental para acabar com a violência que paralisou o Campeonato Italiano. “Acredito que o apoio da Igreja é interessante porque ela é portadora de valores ligados ao bem e à paz. O cristianismo também é a religião da tolerância, da amizade e do perdão”, finalizou.

Fonte: Super Esportes