O clérigo radical Abu Qatada, considerado o “embaixador” na Europa da rede terrorista Al Qaeda, está dando sermões na prisão britânica onde está detido, enquanto sua extradição à Jordânia não é decidida, alertou o Sindicato de Agentes Penitenciários.

Em declarações à rede britânica “BBC”, o vice-presidente do órgão, Steve Gough, expressou sua preocupação com que Qatada, detido na prisão de Long Lartin, utilize as mensagens religiosas para tornar outros prisioneiros radicais, sem que os funcionários da prisão atentem para o fato.

“A realidade é que a maioria do pessoal (da prisão) não sabe o que está fazendo”, denunciou Gough.

O Governo britânico quer deportar o clérigo jordaniano, que costumava pronunciar discursos incendiários na mesquita londrina de Finsbury Park, por considerá-lo um perigo para a segurança nacional.

No entanto, Qatada, cujo verdadeiro nome é Omar Mahmoud Mohammed Othman, opõe-se à decisão, e diz que, se for extraditado, pode sofrer tortura, ser executado ou entregue a outro país para ser interrogado pelos Estados Unidos.

O clérigo foi condenado à revelia à prisão perpétua na Jordânia, por seu envolvimento em atentados terroristas. Ele conseguiu asilo político em 1994 no Reino Unido, onde foi preso em agosto de 2005.

Fonte: EFE