Os bispos reunidos na 46ª Assembléia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Indaiatuba (SP), nesta quinta-feira (10), exigiram das autoridades da área de segurança pública medidas de proteção para os colegas que sofrem perseguições e ameças na região norte.

“Exigimos das autoridades competentes investigações sérias e proteção para os ameaçados. Sua vida é preciosa para o povo que defendem e para nós que lhe somos solidários”, diz a nota da CNBB.

O documento cita nominalmente os nomes dos bispos dom Erwin Krautler, do Xingu (PA); dom José Luiz Azecona Hermoso, da Ilha do Marajó (PA); e dom Flávio Giovenale, de Abaetetuba (PA); que estariam sofrendo perseguição e ameaças de morte.

“Somos um só com eles e com as pessoas que eles defendem: os povos indígenas, as mulheres, crianças e adolescentes que o tráfico de seres humanos instrumentaliza, que a exploração sexual vende e as matam”.

Os bispos também manifestam indignação com as ameaças contra os religiosos e cobram respeito às leis . “Todos somos responsáveis pela construção de um país justo em que as leis sejam respeitadas e garantido o direito de todos a uma vida digna. A justiça e não a violência é que constrói a paz”.

Fonte: Agência Brasil