Um dia após a declaração do governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), relacionando a alta taxa de natalidade entre as camadas mais pobres e a violência, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) reforçou sua defesa contra o aborto.

Ontem, o presidente da entidade, Geraldo Lyrio Rocha, afirmou estar preocupado com a movimentação pró-aborto, que passou a ser mais freqüente também entre autoridades do País. Além da Cabral, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, enfatiza desde o início de sua gestão a necessidade de se debater o assunto.

Durante entrevista concedida anteontem, Cabral defendeu o aborto como método de redução de violência no Estado e afirmou que a favela da Rocinha, na zona sul do Rio, “é uma fábrica de produzir marginal.” “Estamos muito preocupados. A CNBB defende a vida desde o primeiro instante. Por isso, o tema será abordado durante a Campanha da Fraternidade do próximo ano”, disse Rocha.

Fonte: Estadão