A revelação de Deus nas Escrituras e sua plenificação em Jesus, nos ensinam que Deus não trabalha a partir de nenhum poder humano para criar nada do que seja proposta divina aos homens.

Sim! Tudo o que concerne à ação de Deus entre os homens no que tange a indicação do sentido da História em Cristo, aconteceu sem que os maiores agentes explícitos e significativos da Civilização humana tivessem ficado sabendo.

Ora, isso vai contra quase todo interesse da “igreja” em tomar o poder ou, que não seja, servir-se dele o máximo possível; pois, dizem, sem tais forças “do nosso lado”, o reino de Deus fica meio vendido na parada da História.

Não foi à toa que o diabo ofereceu a Jesus todos os poderes deste mundo a fim de subjugá-Lo, porém, sob o pretexto da facilitação do cumprimento dos intentos de Jesus acerca do reino de Deus.

Sim! O diabo oferecia um reino de Deus financiado pelo dinheiro do inferno e por todas as maldades dos poderosos!

É como argumentam os ditadores de qualquer ditadura, dos monstros da direita ariana aos mitos românticos da esquerda humanista; pois, todos, quase que sem exceções, dizem que matarão, roubarão, cercar-se-ão de tudo e todos que puderem ajudar; e que farão ações terroristas, seqüestrarão, torturarão, executarão, e limparão da terra todos os perversos; pois, depois disso, eles implantarão a prosperidade e a paz; e, com tais afirmações, estão nos dizendo que como sabem que sua causa é justa na teoria, eles receberam de tal justiça conceitual a licença para fazer como fazem os perversos que eles querem derrubar, posto que eles não são como os outros.

Quem assim pensa [de Idi Amim ao Fidel] vendeu sua causa ao diabo, mesmo que continue pensando que não é assim; pois, no caso deles, julgam eles, é diferente — é o que pelo menos dizem pensar.

Há muitas décadas que sempre que ouço que o Brasil precisa de um presidente evangélico, digo: “Deus nos livre”.

A pior coisa que poderia ainda acontecer ao que restou de evangélico entre os “evangélicos” seria terem um presidente da republica conforme a imagem e semelhança deles.

O meu pedido a Deus é que destitua de poder a todos os que buscam o poder em nome de Deus, pois, o poder nas mãos deles é sempre financiado pelo diabo.

O mundo tem um príncipe, disse Jesus. E esse príncipe é o diabo. Jesus, porém, disse: “Ele nada tem em mim!”

Ora, é desse príncipe que procedem todos os principados e potestades deste mundo. Por isso o diabo os ofereceu a Jesus como ajuda à causa da implantação do reino de Deus.

Jesus não aceitou, mas a “igreja” não somente aceitou, mas veio a declarar que não pode sobreviver sem ele, de tal modo que sua versão vaticana tornou-se até mesmo um “Estado”.

“Meus irmãos! Uma benção! As Nações Unidas, considerando nosso poder, tamanho e influencia, nos permitiram ter o status de ‘Estado’, à semelhança do Vaticano. Agora podemos falar de igual para igual com todos os poderes da Terra! Aleluia!”

Diante de tal possibilidade, que grupo humano cristão religioso você conhece que não julgaria uma benção divina e uma vitória do reino de Deus tal façanha?

Se você é dos que sonham com coisa assim e crê que elas são essenciais para o reino de Deus, então, saiba: você está de joelhes no alto monte adorando ao diabo.

Radicalismo meu?

Ah! Não! Assim foi Jesus. Assim é o Evangelho. Assim deve ser o caminho dos do Caminho no mundo.

O que se diz?

“Arreda Satanás! Pois, está escrito: Somente ao Senhor teu Deus adorarás e a ele darás culto!”

Se não for assim, jamais será!

Pense nisso!

Caio