Depois de quase três anos sem pisar em terras brasileiras, consegui um tempinho para matar as saudades da família e dos amigos, mesmo que por pouco tempo. Entre encontros com amigos e reuniões familiares, ainda deu tempo de participar de um evento maravilhoso em Recife, o primeiro Ajuntamento, promovido pelo meu amigo Angelo Manassés.

O Ajuntamento reuniu pela primeira vez em um único evento alguns dos maiores expoentes da música Cristã pernambucana de todos os tempos. Angelo, no dinamismo que lhe é peculiar, conseguiu conciliar as agendas de Anuacy Fontes, Valmir Fernandes, Samuel Tito e Ricardo Lyra, além desse que vos escreve.

Foi uma noite maravilhosa. Cada um dos cantores participou com brilhantismo, mas acima de tudo todos se preocuparam em oferecer oferta digna de aprovação. Foi uma noite de louvor e adoração, muito mais que um mero show.

Anuacy Fontes, maranhense radicado em Recife por mais de dez anos, é um músico completo. Excelente compositor e arranjador, Anuacy tem se firmado em Recife como um dos produtores musicais mais requisitados tanto no meio evangélico quanto no secular. Suas músicas conseguem conciliar profundidade poética e harmonias complexas com melodias assimiláveis, uma raridade no meio evangélico de hoje. Conheço Anuacy de longas datas e sempre soube de sua predileção por jazz e pela sonoridade da guitarra semi-acústica. Fiquei boquiabeto e surpreso ao ver como Anuacy incorporou a viola caipira em seu trabalho mais recente, de uma forma maravilhosa. Anuacy está em vias de lançar seu segundo disco solo, do qual falarei aqui na coluna em breve.

Conheço Ricardo Lyra há pelo menos vinte anos e durante esse tempo vi pouca gente mais talentosa do que ele surgir na cena evangélica pernambucana. Ricardo sempre mostrou potencial acima da media como instrumentista. Estudou violão clássico e harmonia com ótimos professores no Conservatório Pernambucano de Música. Tocamos juntos na primeira banda instrumental evangélica de Recife, o Fateixo, onde Ricardo tocava baixo elétrico. Mas, ele se destacou ainda mais com suas canções e arranjos. Ricardo destila uma brasilidade refinada em suas composições que por vezes nos remete a nomes como Djavan, João Bosco e Ivan Lins. Ricardo toca arpejos complicadíssimos com uma simplicidade que faz tudo parecer fácil. Foi muito bom saber que ele está planejando um novo trabalho em breve.

Samuel Tito, dono de uma das vozes mais bonitas que já ouvi, ganhou grande notoriedade em Recife no final dos anos 90, ao protagonizar o musical “O Sonhador”, que ficou em cartaz durante vários anos e se tornou um mega sucesso de público. Mas depois do sucesso do musical, Samuel tomou um rumo em sua carreira que muito me alegrou; esteve à frente nos últimos anos, da equipe nordeste dos Vencedores por Cristo. Venho acompanhando seu ministério através de amigos que estiveram participando das equipes do VPC-NE, e sei o quanto Deus tem usado Samuel para treinar uma nova geração de músicos cristãos em Pernambuco. Gente talentosa, mas acima de tudo comprometida com o Evangelho. Agora, Samuel está lançando um novo projeto chamado Vida e Voz, que visa continuar o ministério iniciado com o VPC-NE. Samuel trouxe para o Ajuntamento alguns dos jovens que participam do Vida e Voz e todos pudemos ver que muita coisa boa vai surgir dessa iniciativa. Certamente voltarei a falar sobre esse ministério aqui na coluna.

Meu amigo Valmir Fernandes foi o último dos convidados a se apresentar e foi uma benção como sempre. Foi uma alegria ouvir aquela voz potente e cheia de suingue mais uma vez. Valmir tem muita história no meio evangélico. Participou do MILAD que nos anos 80 foi a primeira banda evangélica a se profissionalizar no Brasil. Valmir viajou o Brasil inteiro com o MILAD como baterista, mas não demorou muito para que todos vissem o tremendo potencial dele como cantor e compositor também. Desde então Valmir tem se dedicado a carreira solo de cantor e ministro de louvor. Valmir é o compositor de “Deus Não Desiste de Você”, canção que é conhecida no Brasil todo e uma das favoritas nas igrejas de Recife.

O encontro foi uma festa. Não sei o que foi melhor, se as apresentações ou o tempo agradável que passamos conversando nos bastidores. Foi realmente maravilhoso ver que nesses anos todos, mesmo estando afastados, todos nós continuamos com o mesmo propósito de vida e servindo ao mesmo Deus que nos une e nos faz irmãos. Encerramos a noite cantando ao som da viola encantadora de Anuacy a música “Ajuntamento” de Jorge Camargo. Foi um momento único e que representou de forma perfeita o sentimento de todos, o desejo de engrandecer o nome de Deus acima de todas as coisas e de usufruir de Sua presença em todos os momentos de nossas vidas. Sem vaidades, sem competições, sem segundas intenções. Apenas corações singelos expressando louvor verdadeiro.

Que venham muitos outros Ajuntamentos como esse!

Um abraço,

Leon Neto