20 de janeiro desse ano promete ser um dia histórico quando o presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, tomar posse. O mundo todo estará de olhos fixos em Washington para a cerimônia que levará ao poder o primeiro presidente negro nesse país.

Para surpresa de todos, Barack Obama convidou para a invocação oficial da sua posse, o Pastor Rick Warren, mundialmente conhecido pela série de livros “Uma Vida com Propósitos”, que já vendeu milhões e milhões de cópias mundo à fora. Warren é considerado por aqui um Pr. Conservador de direita, fato que causou um certo mal estar entre os eleitores de Obama. Além disso, Rick Warren foi taxado de homofóbico há pouco tempo, por ter se posicionado a favor da chamada “proposição 8”, que eliminou o casamento entre homossexuais na California.

Essa semana a atriz Anne Hathaway, possível concorrente ao Oscar e muito festejada por seu recente filme ”O Casamento de Rachel”, veio à publico para protestar contra a nomeação de Rick Warren. A atriz, que tem um irmão gay, chegou à propor que todos virassem de costas na hora da invocação, mas depois voltou atrás e decidiu apenas usar um broche como forma de protesto. Anne Hathaway acabou de ganhar o prêmio de melhor atriz, junto com Meryl Streep, no “Critics’ Choice Awards”, que é selecionado pelos críticos de cinema norte-americanos, e em todas as oportunidades que tem na mídia, não deixa de falar mal de Rick Warren e de sua escolha para a invocação na posse presidencial.

Eu cada vez fico mais impressionado em como esse pessoal de esquerda, meio burguês neo-liberal está ficando mais e mais burro e irracional. A tal atriz, medíocre por sinal, nem se deu ao trabalho de conhecer a vida de Rick Warren um pouco mais antes de sair por aí fazendo essas declarações sem sentido.

O Pr. Rick Warren tem uma estreita relação aqui com a Liberty University e vem ao campus com certa frequência para palestras e debates. Todas as vezes que o ouvi falar em publico, seja em pregações ou entrevistas, ele sempre se mostrou extremamente equilibrado e coerente e nunca atacou grupo específico nenhum. Lembro-me de uma entrevista sua no programa de Larry King, quando este ultimo perguntou se os homossexuais são pecadores, ao que Rick respondeu: “Claro, assim como eu e você”. Rick Warren tem desempenhado um trabalho extraordinário no combate à pobreza no mundo e trabalhado arduamente contra a epidemia aids na África. Warren chega mesmo a apoiar alguns direitos conferidos às uniões estáveis, como o acesso do cônjuge em internamentos hospitalares, e a extensão dos seguros de vida e saúde. Ele apenas discorda de uma definição de casamento que inclua qualquer outra forma que não a de um homem e uma mulher. Aliás, o modelo Bíblico.

Mas, para esse pessoalzinho radical, qualquer opinião que venha à diferir da deles próprios é logo qualificada como preconceito e homofobia. São tão irracionais que nem percebem que se tornaram exatamente aquilo que tanto criticam: preconceituosos. Em Hollywood, se um ator ou diretor se posicionar contra o homossexualismo é logo atacado de forma veemente por todos os lados. Aliás, não muito diferente da situação criada por essa estúpida lei da homofobia no Brasil.

Rick Warren que é exemplo de integridade no meio evangélico, doa 90% dos seus ganhos com os livros para projetos sociais e de evangelização e não recebe nem mais salário de sua Igreja na Califórnia. Ele demonstra viver o evangelho de forma genuína e autêntica e procura disseminar os ensinamentos de Cristo por onde passa e em todas as vezes que dá entrevistas na televisão.

Ensinamentos esses baseados no conhecimento de que Deus ama o pecador, mas odeia o pecado. Exemplo que todos nós deveríamos seguir, sem medo de receber críticas ou condenações da sociedade.

Um abraço,

Leon Neto